Reuniões de atualização do Pelt são concluídas com participação de todo o Paraná

Crea-PR incentivou entidades e profissionais das engenharias, agronomia e geociências para ampla participação nas discussões de redação do documento, que será apresentado para sociedade, lideranças e candidatos ao Governo do Estado no final do mês

Com o objetivo de apresentar os avanços dos últimos anos, debater e apontar as obras prioritárias para o Paraná, foram realizadas em todo o Estado reuniões regionais a fim de atualizar o Plano Estadual de Logística do Transporte (Pelt). Ao todo, foram sete encontros, com início em Londrina, 15 de julho, e conclusão em Curitiba, em 29 de julho. Participaram das ações cerca de 400 representantes de entidades do setor produtivo, da sociedade civil organizada e do poder público.

“Em todas as reuniões, os profissionais das engenharias, agronomia e geociências foram destaque graças ao trabalho de engajamento realizado pelo Crea-PR junto aos profissionais e suas Entidades de Classe, em todas as oito regionais do Conselho no Estado. O olhar dos profissionais deste segmento em um projeto relacionado ao transporte é essencial para a viabilidade e sustentabilidade do mesmo”, ressalta o engenheiro civil Ricardo Rocha, presidente do Crea-PR.

Elaborado desde o início do século XXI e atualizado continuamente, o Pelt 2035 tinha sua última versão em 2016, constitui-se de um documento que apresenta as obras prioritárias necessárias para diminuir gargalos de infraestrutura pelo Paraná. Com a finalização das reuniões, o documento será renovado para inclusão das demandas e adequações necessárias. De acordo com o presidente do Crea-PR, o material deve ser concluído ainda em agosto, com a assinatura das entidades participantes, e apresentado para todos interessados até setembro.

“A expectativa é que esse compromisso coletivo possa contribuir de forma efetiva. Uma ação intensa que possa alavancar o desenvolvimento sustentável e atingir as melhores condições para a população, com segurança, maior rendimento para as cadeias produtivas e com benefícios para os eixos social, econômico e de sustentabilidade do meio ambiente. Mais do que um documento, é um compromisso firmado com foco no longo prazo. É uma união de forças que irá contribuir para que o Paraná continue em desenvolvimento e se destaque no Brasil”, afirma.

Atualmente, o Pelt é composto por 97 obras e projetos propostas para modal rodoviário (48), portuário (17), aeroviário (16), ferroviário (8), além de outros modais (8). Entre as demandas apresentadas nos encontros regionais, estão a continuidade do pedido de ampliação do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e o andamento desse processo que está sendo realizado nos aeroportos de Londrina e Foz do Iguaçu. Com a intensificação dos esforços, o número de voos diários no Paraná passou de sete para 19.

Nas demandas rodoviárias, entre os pedidos estão a nova ponte do Rio Paraná para conectar os municípios de Nova Londrina e Paranavaí, obras no contorno norte de Londrina e de Cascavel, e no contorno de Ponta Grossa. Em Curitiba, a demanda é para duplicação da rodovia que leva para a Praia de Leste e, então, para Pontal do Paraná. Também foi levantada a possibilidade de conectar Pato Branco, no Sudoeste, a cidade da Lapa, nos Campos Gerais, com passagem pela capital.

O trabalho para o desenvolvimento do documento e de sua atualização foi coordenado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), e contou com a parceria do Crea-PR, Movimento Pró-Paraná, o Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), além do G7 – grupo do qual fazem parte a Fiep, as Federações da Agricultura (Faep), do Comércio (Fecomércio), das Cooperativas (Ocepar), dos Transportes (Fetranspar) e das Associações Comerciais (Faciap), e também a Associação Comercial do Paraná (ACP).

EM CURITIBA
Realizado em 29 de julho, o encontro de Curitiba marcou a finalização das reuniões do PELT e levantou pontos prioritários para a Região Metropolitana de Curitiba, como a necessidade de ampliação dos contornos utilizados para o desvio do tráfego da capital, a presença de dutos de gás que passam pela cidade e agora serão ampliados para outras regiões e a nova construção de uma pista no Aeroporto Afonso Pena voltada para voos internacionais de longa distância.

SOBRE O CREA-PR
O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná, criado no ano de 1934, é uma autarquia responsável pela regulamentação e fiscalização dos profissionais das áreas das engenharias, agronomias e geociências. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de orientação e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento.