Guarapuava fecha ano de 2021 com saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada

Segundo dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), que foram divulgados na manhã desta segunda-feira (31 janeiro) pelo Ministério do Trabalho, o mercado formal guarapuavano criou, no total, 2.909 vagas ao longo de 12 meses

Mesmo com queda em dezembro, o ano de 2021 foi positivo para Guarapuava na geração de empregos com carteira assinada.

Segundo dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), que foram divulgados na manhã desta segunda-feira (31 janeiro) pelo Ministério do Trabalho, o mercado formal guarapuavano criou, no total, 2.909 vagas ao longo de 12 meses.

Esse número é o resultado das contratações e demissões. Portanto, a economia de Guarapuava registrou 23.570 admissões, contra 20.661 desligamentos. Em termos percentuais, isso representa uma variação positiva de 7,66%.

Todos os setores pesquisados pelo Caged ficaram no azul. Mas os principais “motores” da economia local foram a Indústria, com 776 postos criados no ano passado; seguida de perto por Comércio (+758) e Serviços (+652).

Em seguida, aparecem a Construção (+577) e a Agropecuária (+146).

Gráfico com o desempenho de Guarapuava ao longo de 2021 (Tabela: Caged)

DEZEMBRO
Mas, em dezembro, o maior município do terceiro planalto paranaense amargou a perda de 293 vagas com carteira assinada. É um reflexo do cenário nacional, pois o Brasil ficou com saldo de -265.811.

Trocando em miúdos, significa que as demissões (1.784) superaram as contratações (1.491) em Guarapuava, no último mês de 2021. Variação percentual de -0,71%.

Entre os setores averiguados, somente o Comércio (+86 postos) e a Agropecuária (+6) fecharam no azul em dezembro.

Ou seja, a queda na geração de empregos formais foi puxada por Indústria (-70), Construção (-94) e Serviços (-221).