Programa ‘Leia para uma Criança’ distribui livros infantis para 1,5 mil cidades

Campanha levou mais de 1,8 milhão de livros para 3.716 instituições sociais e órgãos públicos que atendem

A última edição da campanha Leia para uma Criança, do Itaú Social, levou 1.867.678 livros de literatura para 933.839 crianças, por meio de 3.716 instituições sociais e órgãos públicos de 1.468 municípios em situação de maior vulnerabilidade social no Brasil. A edição de 2021 marcou uma mudança no formato do programa, atendendo crianças de zero a seis anos, por meio de OSCs (organizações da sociedade civil), bibliotecas comunitárias, escolas e creches públicas e outros equipamentos públicos voltados para a garantia dos direitos da primeira infância.

“O Leia para uma Criança nasceu para estimular os adultos a lerem com e para as crianças, como forma de fortalecimento dos vínculos afetivos. Com o amadurecimento do programa, entendemos a necessidade de concentrar 100% das nossas ações no esforço para garantir o direito à leitura para famílias em situação de maior vulnerabilidade. Estamos vivendo um cenário de acirramento das desigualdades e promover o acesso à leitura de qualidade é contribuir com o desenvolvimento das crianças que foram ainda mais impactadas na pandemia”, explica a superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann.

Na cidade de Recife (PE), a organização “Giral” recebeu 266 exemplares dos livros “Enquanto o almoço não fica pronto”, da autora Sônia Rosa, e o “Os olhos do jaguar”, do escritor Yaguarê Yamã, títulos selecionados pela campanha no ano passado.

“As doações de livros foram realizadas junto com as doações de alimentos e produtos de limpeza e higiene como forma de incentivo à leitura. A expectativa é que as crianças possam ter acesso aos livros de forma lúdica.”, diz o presidente da Giral, Leonildo de Moura Souza.

Já no município de Itapevi (SP), que recebeu 11.906 títulos da campanha, os livros foram entregues à Secretaria Municipal de Educação e serão utilizados por crianças das escolas públicas, ampliando o acesso à literatura de qualidade.

“Ressaltamos que o gosto pela leitura transforma e, ao mesmo tempo, forma estudantes mais confiantes, seguros e com plena capacidade de construir conhecimento com bases sólidas e amplas para o exercício da cidadania”, destaca a supervisora de Ensino da Rede de Itapevi, Maria Lucia Galli, que complementa que os livros também “proporcionam momentos de união, interação, diálogo e afetividade entre a família com seus filhos.”

ACESSIBILIDADE

Para atuar pela garantia do direito à leitura para todas as crianças, o Leia para uma Criança também distribui títulos nas versões em braile e acessível (com fonte ampliada para crianças com deficiência visual, e em formato audiovisual com múltiplos recursos de acessibilidade, como Libras e audiodescrição). No ano passado, os três tipos de publicações foram distribuídas nas instituições:

  • Secretarias Municipais de Educação: 824.552 livros, sendo 836 em braile, 1.790 acessível e o restante regular;
  • OSCs: 581.848 livros, sendo 1.522 em braile, 4.248 acessível e o restante regular;
  • Escolas e Creches: 337.730 livros, sendo 592 em braile e o restante regular;
  • Órgãos públicos: 123.548 livros, sendo 1.686 em braile e o restante regular.

2022

O programa deste ano seguirá o modelo da última campanha, com a seleção e distribuição de livros que representem questões dos universos culturais negros e indígenas. Como as obras são destinadas para crianças na primeira infância, as instituições que não atenderem este público, não estarão aptas a participar do programa.

SOBRE O PROGRAMA

Iniciado em 2010, o Leia para uma Criança já distribuiu cerca de 65 milhões de livros físicos gratuitamente e foi o primeiro programa a receber Prêmio Jabuti na categoria Fomento à Leitura.