Complexo cultural do Teatro Guaíra já reuniu 110 mil espectadores em 2022

Somente o Guairão reuniu 70 mil pessoas. Produções do balé e da orquestra sinfônica tiveram ingressos esgotados antecipadamente. Retomada no Teatro Guaíra é fruto de medidas de incentivo ao setor e da descentralização da cultura, propostas do Governo do Paraná

O complexo cultural do Teatro Guaíra teve um público de 110 mil espectadores no primeiro semestre de 2022, número que demonstra a consolidação da retomada do setor cultural no Paraná. Somente o Guairão reuniu 70 mil pessoas para celebrar artistas como Gal Costa, Ney Matogrosso e Lulu Santos.

Os corpos artísticos da instituição também foram sucesso de público. Todas as produções do Balé Teatro Guaíra e da Orquestra Sinfônica do Paraná tiveram ingressos esgotados antecipadamente. Além disso, a OSP fez uma turnê pelo Estado com o projeto “Clássicos Sertanejos” e recebeu aplausos de 12 mil paranaenses.

A retomada das atividades ligadas ao Teatro Guaíra é fruto de medidas de incentivo ao setor e da descentralização da cultura, propostas do Governo do Paraná. Em março deste ano, houve uma redução de 50% na taxa cobrada de produtores culturais para a locação dos auditórios da instituição. A nova tarifa para o Guairão, Guairinha, Miniauditório e Teatro José Maria Santos ficou estabelecida em 5% da arrecadação da bilheteria.

Também foram criados tetos de cobrança. No miniauditório, por exemplo, o valor máximo cobrado agora é de R$ 450.

O resultado dessa redução tarifária é que somente o Teatro José Maria Santos, conhecido como o “teatro da classe”, teve público de 5 mil espectadores. Esse dado é relevante porque o “Zé Maria” concentra as apresentações de artistas paranaenses e pequenas companhias de teatro. O público que retorna para esse tipo de apresentação auxilia a economia criativa do Paraná.

No Guairão, à exceção de apenas um espetáculo, todas as demais produções tiveram ingressos esgotados. O público lotou shows variados, desde concertos da Orquestra Sinfônica do Paraná, com repertório clássico, até apresentações de rock, como da banda Titãs, e musicais, como “A Cor Púrpura”.

Para Cleverson Cavalheiro, diretor-presidente do Teatro Guaíra, esse resultado demonstra o compromisso do Governo do Estado com o setor cultural. “Sabemos que os artistas foram os primeiros a parar e os últimos a voltar. As ações do Teatro Guaíra, então, se inserem em um conjunto de medidas do governo para reativar a economia criativa do Estado”, afirma.

Foto: Maringas Maciel/Teatro Guaíra

GUAÍRA PARA TODOS
O público assistiu a produções dentro dos auditórios do Teatro Guaíra e também em palcos alternativos. Os corpos artísticos da instituição fizeram apresentações em parques, praças e até igrejas. A saída de dentro da estrutura formal é uma diretriz do Governo do Estado para a democratização do acesso à cultura.

O projeto Guaíra para Todos tem o objetivo de levar apresentações e espetáculos a diferentes regiões do Paraná. A ideia é fazer com que espectadores de cidades pequenas e distantes da Capital também tenham acesso a grandes produções.

Dentro desse projeto, também acontecem apresentações didáticas para alunos e alunas de escolas públicas. Somente com “Terra Brasilis”, espetáculo do Balé Teatro Guaíra, cinco mil crianças foram recebidas no Guairão.

O Projeto Parques e Praças também foi retomado em 2022. A ação tem o objetivo de levar espetáculos culturais de forma ampla e descentralizada aos mais variados públicos. Em 2021, produções do Balé, da Escola e do G2 Cia. de Dança foram sucesso de público em locais como Parque São Lourenço e Praça Rui Barbosa. Somente as apresentações do Guaíra no Festival de Teatro deste ano tiveram 3 mil espectadores.