Deral estima produção de 276,2 mil toneladas de feijão na 1ª safra 2021/22 no PR

Na safra 2020/21 o Núcleo Regional de Guarapuava foi responsável por 13% da produção estadual, com 50.950 hectares e 71.198 toneladas

A Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento (Seab) do Paraná divulgou nesta quarta-feira (19) um prognóstico da agropecuária paranaense, que analisa as culturas agrícolas e demais atividades de pecuária no Estado.

O documento é elaborado pela equipe do Departamento de Economia Rural (Deral) e traz informações sobre a produção no estado, destacando a área, produtividade, participação no Valor Bruto da Produção (VBP) e a eventual exportação do produto.

Uma das culturas abordadas é a do feijão que detém uma importância econômica significativa para o Estado. O Paraná é o maior produtor em área e volume de produção. Na safra de 2020/2021 o Estado produziu 534 mil toneladas, o que corresponde a 19% da produção nacional. Em relação ao feijão preto, o domínio é ainda maior, com 70%.

O Valor Bruto de Produção (VBP) do feijão, em 2020, foi em torno de R$ 2,0 bilhões, o que representa aproximadamente 1,64% do valor total estadual.

NÚCLEOS REGIONAIS
O Núcleo Regional (NR) de Ponta Grossa detém a produção mais expressiva em relação ao feijão, respondendo por 20% da safra. Já o NR de Guarapuava é responsável por 13% da produção estadual, com 50.950 ha e 71.198 toneladas. O valor coloca o NR na quinta colocação.

Com 9.360 ha de área cultivada, o NR de Pitanga obteve uma produção de 12.858 toneladas na safra 2020/21. Os números são referentes a safra de 2020/21.

PREÇOS
Diversos fatores contribuíram para o aumento do preço da saca de 60 kg do feijão do tipo preto e cores nos últimos dois anos. Dentre eles, o clima, a pandemia e o aumento significativo nos custos de produção.

De acordo com o documento do Deral, em 2021 a saca de 60 kg do feijão do tipo cores teve um aumento de 9% em relação a 2020, chegando a média de R$ 265,49. Já para o tipo preto, o valor médio foi de R$ 253,8, uma elevação de 22% se comparado ao ano passado.

SAFRA 2021/22
O Deral estima que a área estimada de plantio na safra das águas, que é a primeira da temporada, seja de 140,12 mil hectares. Além disso, a projeção é de uma produção de 276,2 mil toneladas.

O prognóstico aponta que esses números apresentam uma queda de 8% na área e aumento de 7% na produção em relação à safra anterior. Segundo o Departamento, alguns produtores tradicionais no cultivo do feijão migraram para as commodities milho e soja.

O relatório da cultura mostra que 81% das áreas estão em boas condições, 18% em condições médias e 1% em condições ruins.