Investimentos devem ampliar atendimento dos serviços de saúde mental em Guarapuava

De acordo com o secretário de Saúde de Guarapuava, Jonilson Pires, o momento é de transição na pauta de saúde mental

Com o início da pandemia da Covid-19, aumentou consideravelmente o volume de pessoas em situação de sofrimento psíquico, estresse agudo ou com quadros de transtornos mentais agravados em todo o mundo. 

Em Guarapuava, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) tem priorizado investimentos e projetos que envolvem a saúde mental para ampliar e melhorar o atendimento. 

De acordo com o secretário de Saúde Jonilson Pires, o momento é de transição na pauta de saúde mental. “Até pouco tempo, existiam muitos paradigmas e preconceitos em torno do doente mental. Hoje, nós tentamos trazer o assunto à tona e fazer com que, cada vez mais, as pessoas tenham consciência de que se trata de um problema orgânico, que deve ser cuidado assim como qualquer outra enfermidade humana”, defende Jonilson.

Em 2021, como ação imediata, o município contratou novos psicólogos para atuar nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). A medida melhorou o processo de direcionamento dos casos, com o objetivo de filtrar as demandas encaminhadas para o Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS II).

“No CAPS II é realizado um atendimento multidisciplinar, com uma equipe composta por assistentes sociais, psicólogos e, em casos mais graves, nesse serviço contamos também com apoio de um médico psiquiatra”, comentou Claudia Cunico Locatelli, coordenadora da Atenção Especializada da SMS.  

As publicações científicas da revista Journal of Medical Internet Research apontam que o período de isolamento social provocou grande aumento dos casos de ansiedade, depressão, transtornos relacionados ao sono e abuso de álcool e drogas. O diagnóstico de doenças mentais mais graves, como síndrome do pânico, também tiveram um aumento considerável. 

Além dos problemas causados pela reclusão, milhares de pessoas viveram períodos de luto e acabaram mais fragilizadas e, consequentemente, propensas ao adoecimento mental. 

LEVANTAMENTO

Para efetivar as estratégias de ação, a SMS firmou parceria com a Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) para que os acadêmicos dos últimos anos do curso de Enfermagem realizem o matriciamento dos casos nas UBS, auxiliando a organizar a demanda e o encaminhamento dos pacientes de risco primário, secundário e terciário para os locais adequados. 

NOVO CENTRO

Outro investimento a ser feito com o objetivo de aprimorar a distribuição e melhorar o atendimento dos pacientes é a implantação do CAPSi, destinado ao atendimento de crianças e adolescentes com transtornos psicossociais severos, psicose infantil, autismo, transtornos psiquiátricos e outras patologias relacionadas a saúde mental. 

O projeto está sendo feito em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, pois as escolas são o principal espaço social que auxilia na identificação dos transtornos psicológicos e traumas causados por abusos ou violência contra as crianças.

O novo Centro de Atenção Psicossocial irá reunir especialistas em psicologia, medicina, terapia ocupacional, fonoaudiologia e pedagogia. “Para o tratamento de saúde mental na infância, é necessário que o atendimento tenha uma equipe de profissionais. Nós trabalhamos com muitos casos de abuso sexual e violência, por exemplo. Essas situações geralmente são percebidas na escola, por isso, essa ligação com as instituições de ensino e múltiplos profissionais terá um impacto substancial nesses atendimentos”, destacou Claudia.

APERFEIÇOAMENTO

A Secretaria de Saúde também irá capacitar os servidores da UBS para humanizar cada vez mais o atendimento da assistência básica, responsável pelo acolhimento, orientação e triagem dos casos. O treinamento será ministrado pelo Dr. José Cleber Feliciano Ferreira, membro da Associação Paranaense de Psiquiatria. 

A meta é proporcionar uma assistência mais acolhedora e eficiente desde o primeiro contato quando a pessoa busca ajuda do serviço de saúde. 

ONDE BUSCAR AJUDA

Para o primeiro atendimento de qualquer caso relacionado à saúde mental, o paciente deve se dirigir até uma UBS para receber a assistência básica. De lá, após uma avaliação, será realizado o encaminhamento conforme o quadro clínico e disponibilidade de vagas.

Para pacientes já acompanhados pelo CAPS, o atendimento pode ser feito diretamente no Centro de Atenção Psicossocial.