Indicadores mostram que sociedade e prefeitos entenderam gravidade da situação

O índice de isolamento social chegou a 53% neste domingo (28). 389 prefeituras adotaram o Decreto na íntegra. O documento do Governo do Estado impôs restrição de circulação das 20h às 5h e delimitou as atividades essenciais que podem continuar a funcionar normalmente

Os índices de isolamento social no final de semana e de adesão das prefeituras ao Decreto 6.983/2021, publicado na sexta-feira (26), mostram que a sociedade e as secretarias municipais de Saúde entenderam a gravidade do momento da pandemia no Paraná e no País. O documento do Governo do Estado impôs restrição de circulação das 20h às 5h e delimitou as atividades essenciais que podem continuar a funcionar normalmente.

O índice de isolamento social chegou a 53% neste domingo (28) no Estado, com crescimento de 10,2 pontos percentuais em relação ao domingo anterior (21). É o maior do Estado desde 24 de janeiro, também um domingo, segundo o monitoramento da empresa In Loco, que utiliza dados anônimos de localização de telefones celulares. Foi o segundo maior da Região Sul, atrás apenas de Santa Catarina (55,4%), o quarto maior do País e ficou à frente da média nacional no último domingo, de 46,6%.

O índice, no entanto, foi alcançado em um final de semana chuvoso em boa parte do Paraná e ainda está longe daqueles alcançados entre março e abril do ano passado. No dia 22 de março de 2020, também um domingo, o índice foi de 65,6%, e, no dia 29 de março, de 62,7%. Entre agosto e dezembro do ano passado o número ficou abaixo de 50%, mesmo nos finais de semana.

Na sexta-feira passada, data do anúncio das medidas, o índice era de 28,4% no Estado, o menor desde o começo da pandemia. Na ocasião, o número nacional era de 31,1%. Registro parecido no Paraná aconteceu no dia 11 de março (28,3%), antes do primeiro anúncio de medidas restritivas, que aconteceu no dia 17 de março, e antes mesmo da confirmação dos primeiros seis casos, no dia 12 de março.

ADESÃO MUNICIPAL 

Outro índice que demonstra adesão por parte da sociedade foi levantado pela Associação dos Municípios do Paraná (AMP). Segundo a entidade, apenas nove prefeituras não adotaram as restrições impostas pelo Governo do Estado e uma internalizou a legislação apenas parcialmente, o que significa 97,4% de adesão completa nos 399 municípios.

“Parte da população cobra as autoridades sobre uma posição entre a vida e a economia. Sempre nos pautamos pelo equilíbrio, mas nesse momento há um desequilíbrio na saúde, os números são claros. São medidas mais duras e os prefeitos entenderam. Nunca tivemos uma adesão tão grande porque todos viram que o momento é muito crítico”, disse Darlan Scalco, prefeito de Pérola e presidente da AMP. “Estamos fazendo aquilo que é certo, mesmo que isso doa. Esperamos que haja um resultado efetivo”.

O anúncio das medidas foi precedido de reuniões com todas as associações municipais. Na quinta-feira (25) o governador Carlos Massa Ratinho Junior promoveu dois encontros virtuais para discutir o cenário da pandemia da Covid-19. Um foi com os prefeitos dos cinco maiores municípios do Paraná e o outro com todos os presidentes das associações municipais, que congregam as 399 cidades do Estado.

Na sexta, pouco antes do anúncio, houve sensibilização junto aos prefeitos da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) e da Associação dos Municípios do Litoral (Amlipa), além dos deputados estaduais.

DECRETO 

O Decreto do Governo do Paraná prevê, entre outras ações, a suspensão do funcionamento dos serviços e atividades considerados não essenciais em todo o Estado e a ampliação na restrição de circulação das pessoas entre 20 horas e 5 horas. Também estão proibidas a comercialização e o consumo de bebidas alcoólicas em espaços de uso público ou coletivo nesse intervalo da noite e da madrugada.