Em julho, Guarapuava registrou déficit de chuvas

“As temperaturas médias em julho/2021 ficaram abaixo das médias históricas em todo o Paraná, isto por conta de duas fortes massas de ar polar que atuaram no Estado ao longo do mês”, afirma o Simepar. Entre 18 e 20/07 e no final do mês (28 a 30/07), houve temperaturas negativas em várias cidades

O mês de julho deste ano, no Paraná, pode ser resumido da seguinte forma: frio intenso (com duas ondas mais rigorosas) e chuvas abaixo da média histórica para o período.

“As anomalias de precipitação ficaram negativas em todos os setores”, avalia o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), em balanço divulgado no início de agosto.

No Oeste, Centro-Sul, Campos Gerais, RMC e no Litoral paranaense, déficits acima dos 60 mm. Exemplos: Toledo (66 mm); Guarapuava (80 mm); Curitiba (78 mm; choveu apenas 14,6 mm) e Guaratuba (78 mm).

Em parte do Noroeste, as anomalias ficaram bem perto das médias históricas (Umuarama e Cianorte, o déficit foi de 11 mm). Houve duas frentes frias que avançaram pelo Estado, entre os dias 15 e 17 de julho e entre 27 e 28 de julho. No início do mês atuou um bloqueio atmosférico que inibiu a ocorrência de chuvas em boa parte do Paraná.

“As temperaturas médias em julho/2021 ficaram abaixo das médias históricas em todo o Paraná, isto por conta de duas fortes massas de ar polar que atuaram no Estado ao longo do mês”, afirma o Simepar. Entre 18 e 20 de julho e no final do mês (dias 28 a 30), houve temperaturas negativas em várias cidades, com geadas amplas nas diversas regiões paranaenses e chuva congelada no Centro-Norte (Pitanga, Telêmaco Borba, Araruna).

Em Paranavaí (0,0°C), Cascavel (-4,1°C) e Ponta Grossa (-4,3°C), o dia 29 do mês passado foi de recordes de frio desde 1997 (quando foram instaladas as estações meteorológicas). Menor temperatura no Estado ocorreu em General Carneiro no dia 20 de julho: -7,9°C. Maior valor ocorreu em Loanda: 33,9°C no dia 26.

FRIO
Segundo o Simepar, o tempo nos últimos dias de julho no estado do Paraná foi marcado pelo predomínio de uma intensa massa de ar frio e seco.

Nesta onda de ar frio, período de 27 a 31 de julho, foram registradas temperaturas negativas em 36 municípios de todas as regiões paranaenses. Em vários municípios das Regiões Oeste, Sudoeste, Sul, Centro e Campos Gerais foram três dias seguidos com temperaturas negativas.

Os menores valores ocorrem em Guarapuava e Ponta Grossa, -4,3 °C, Cascavel, -4,1 °C, Palmas -5,4 °C e General Carneiro (INMET), -7,3 °C. Em Curitiba a menor temperatura foi de -0,8 °C, 30 de julho de 2021, porém não houve quebra de recorde histórico, -2,6 °C em 17 de julho de 2000.

Em relação ao comportamento histórico de julho, nove municípios registraram quebras de recordes. O maior deles foi em Ponta Grossa, que teve -4,3º C em 29 de julho, superando a temperatura de -4,2º C em 19 de julho. Em seguida, vem Cascavel com -4,1º C de 29 de julho, batendo seu recorde anterior de -4,0º C.

Paraná registrou duas ondas de frio intenso em julho (Foto: Ana Tigrinho/AEN)

PREVISÃO
Nesta quarta-feira (4 agosto), segundo o Simepar, as condições do tempo seguem sem grandes mudanças no interior do Paraná. Céu fica com pouca nebulosidade, e as temperaturas variam bastante durante o dia (baixas pela manhã e elevadas à tarde).

Entre os Campos Gerais e o Leste (RMC e litoral), a nebulosidade continua presente, e as temperaturas da tarde não ficam tão elevadas. Na RMC, Serra do Mar e o Litoral, as condições são favoráveis para ocorrência de chuvas fracas/chuviscos ocasionais (principalmente à noite).

Em Guarapuava, previsão de tempo nublado para esta quarta, com 0% de probabilidade de chuva na avaliação do Simepar. Pela manhã, as temperaturas devem ficar em 6º C, podendo chegar até 17º C (máxima).

Já na quinta-feira (5), a tendência é de céu novamente nublado e sem chuvas. Os termômetros variam entre 9º C (mínima) e 18º C (máxima).

GEADA
Segundo o serviço Alerta Geada, quarta-feira com previsão da formação de geadas fracas desde o Sudoeste até os Campos Gerais, microrregião de Telêmaco Borba, além do Centro do Paraná. Também pode ocorrer a desenvolvimento do fenômeno no sul da Região Metropolitana de Curitiba, próximo de Santa Catarina.

E, na quinta, o ar frio perde força sobre todas as regiões paranaenses e com isso não há previsão da formação de geadas no Paraná.

**************Com informações do Simepar