Apreensões de drogas pela Polícia Civil aumentam 72% no primeiro semestre

Foram 24 toneladas em todo o Estado de janeiro a junho de 2021, contra 14 toneladas no mesmo período do ano passado. Desempenho resulta de investigação de alta complexidade, atividade de inteligência e capacitação. Policiais prenderam 231 traficantes

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) apreendeu 72% a mais drogas em operações da Divisão Estadual de Narcóticos no primeiro semestre de 2021 comparado ao ano anterior. Foram 24 toneladas em todo o Estado, contra 14 toneladas de janeiro a junho de 2020.

Durante as ações, a PCPR prendeu 231 traficantes, resultando em um aumento de 22%, quando comparado com o mesmo período do ano anterior. De janeiro a junho de 2020 foram presas 189 pessoas.    

Para o delegado Victor Loureiro, o aumento nas apreensões de drogas é fruto das diversas operações realizadas no período. “Os números são decorrentes da intensificação das ações integradas, do investimento em ferramentas e tecnologias voltadas à atividade de inteligência, da capacitação dos policiais e da utilização de cães farejadores”, explica o delegado.   

Entre as substâncias estão cocaína, crack, haxixe e maconha. Além dessas drogas, a Polícia Civil ainda registrou um aumento de 700% nas apreensões de ecstasy e LSD. Em 2021 foram 3.833 unidades apreendidas, em 2020 foram 479.    

ALTA COMPLEXIDADE

As ações fazem parte de investigações de alta complexidade com aplicação de técnicas especializadas. Têm como objetivo a desestruturação e desarticulação de organizações criminosas que atuam no Estado.  

OPERAÇÕES ÁEREAS

O combate ao tráfico de drogas conta com Grupamento de Operações Aéreas da PCPR, que auxilia nas operações.  O grupamento possui frota de cinco aeronaves e as ações contam com a ferramenta “night sun” ou sol da noite, equipamento que permite iluminar áreas maiores que um campo de futebol. A iluminação das aeronaves auxilia em operações que ocorrem durante a madrugada permitindo que os policiais civis tenham êxito em encontrar objetos ilícitos e criminosos. 

Para o delegado Renato Coelho, as aeronaves auxiliam em diversos aspectos, como apoio no cumprimento de mandado de busca e apreensão e prisão, além de transporte de equipes e carregamento de drogas apreendidas.  

“A aeronave consegue cobrir uma área de aproximadamente 25 mil viaturas, ou seja, um perímetro grande, reduzindo riscos aos policiais e auxiliando nas prisões”, diz o delegado.

Nas fronteiras conseguimos evitar que traficantes consigam acessar áreas fluviais e fazer uma cobertura extensa verificando depósitos de drogas ou organizações criminosas atuando nas regiões”, completa. 

HÓRUS

A Polícia Civil também integra a Operação Hórus, desenvolvida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, na região de fronteira, na qual diversas forças de segurança atuam em conjunto para impedir a entrada de ilícitos.