1,4 mil segundas vias de RG já foram geradas após ampliação do serviço online; veja como fazer

A novidade do serviço 2ª via fácil foi desenvolvida em parceria com a Celepar e permite que a população solicite um novo registro geral por aparelho celular, tablet ou computador com acesso à internet

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) gerou 1.430 segundas vias de RG com alterações nos 10 primeiros dias de oferta do serviço online ampliado. Desde o dia 11 de janeiro, pessoas que já tenham RG no Estado podem solicitar uma nova via de forma 100% online com a possibilidade de atualizar fotografia, assinatura e dados biográficos (nome, sobrenome e filiação).

A novidade do serviço 2ª via fácil foi desenvolvida em parceria com a Celepar e permite que a população solicite um novo registro geral por aparelho celular, tablet ou computador com acesso à internet.

A solicitação pode ser feita pela página www.policiacivil.pr.gov.br, na aba “documentos” ou diretamente no link de “serviços”.

Os documentos a serem anexados deverão estar no formato .pdf ou .jpeg com tamanho máximo de cinco megabytes. Já a fotografia deverá ser encaminhada em formado .jpeg e com tamanho máximo de cinco megabytes. O serviço é intuitivo e apontará alterações que precisarão ser feitas, caso os arquivos estejam fora do padrão.

Somente pessoas que já tenham RG no Paraná têm acesso ao serviço. A opção de reimpressão da 2ª via fácil, sem alteração de dados e foto, também é um serviço ofertado de forma online.

Pessoas que já tenham atualizado recentemente a foto e outros dados no sistema do Detran podem apenas fazer o pedido de reimpressão do RG, já que a integração dos dados é feita de forma automática.

FACILIDADE

A solicitação remota do RG oferece ao cidadão comodidade, segurança e economia. A ida a um dos postos de identificação será necessária somente para a retirada do documento.

Tecnólogo da informação, Gustavo Alonso, 42, e a namorada Tatiana Rangel Bessa dos Santos, 42, solicitaram a segunda via com a alteração de fotos e dados. Ele conta que a companheira acessou o link para a solicitação no primeiro dia de oferta do serviço ampliado. Tatiana aproveitou para retirar o sobrenome do ex-marido e atualizar a fotografia.

“Em um primeiro momento a solicitação dela não se efetivou, porque ela tinha feito uma selfie e o fundo não era branco como dizia no vídeo. Ela refez a foto e o sistema já aprovou. Só falta buscar”, relata Alonso.

Já no caso do tecnólogo da informação a alteração era apenas de atualização da fotografia. Na primeira tentativa ele já concluiu o processo. “É muito prático, rápido e interativo. O sistema funciona bem”, garante.