Guarapuava, 10 de dezembro de 2019
Cotidiano

Em alusão ao Dia do Meio Ambiente, este CORREIO doou cerca de 50 kg de jornais para a Diretoria de Cultura da Unicentro, que utilizará os papéis na restauração de uma peça cênica

-

A equipe deste Correio do Cidadão, em parceria com a Diretoria de Cultura da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), doou cerca de 50 kg de jornais usados para a restauração de uma peça cênica da instituição.

A ação foi uma forma de atentar para a importância da reciclagem e do reaproveitamento do papel através do artesanato, em alusão ao Dia do Meio Ambiente, que é comemorado nesta quarta-feira (5).

De acordo com Juliana Matoso, que faz parte da equipe da diretoria, essa é uma forma de dar uma nova função para esses materiais, que muitas vezes poderiam ser descartados de forma incorreta. “É uma forma que a gente tem para reciclar o que iria para o lixo”, diz, pontuando que é possível produzir vários materiais com o papel jornal.

Nessa oportunidade, será restaurado um cavalo marinho cênico, que acabou ficando desgastado com o tempo. Tendo apenas o papel e cola como materiais, Juliana acredita que levará de 10 a 15 dias para concluir o trabalho.

Desgastado pelo tempo, um cavalo marinho cênico será restaurado (Foto: Douglas Kuspiosz/Correio)

PRESERVAÇÃO

Para a artesã guarapuavana Lía Miriam Morselli, a reutilização do papel faz bem à natureza, já que vai na contramão de um pensamento consumista. “Mesmo que se decomponha facilmente, você está consumindo”, diz, acrescentando que praticamente todos os tipos de papéis usados podem passar por algum processo de reutilização.

No caso do jornal, ela explica que a papietagem é uma das técnicas de artesanato que lançam mão desse material. Após cortar o impresso em pedaços pequenos, ele é colado em várias camadas sobre a superfície que se deseja moldar.

“Você faz umas dez camadas e espera secar. Depois, pode pintar, porque esse material fica grosso e resistente como madeira”, aponta a artesã.

Em formato de rolinhos, o papel também pode ser utilizado no lugar do vime, desde que também seja incluído um verniz marítimo na peça trabalhada, para garantir a impermeabilidade.

“Você pode fazer materiais de cestaria, ornamentos, objetos decorativos, bacias... coisas desse gênero”, explicou Lía.

Para a artesã guarapuavana Lía Miriam Morselli, a reutilização do papel faz bem à natureza, já que vai na contramão de um pensamento consumista (Foto: Arquivo Pessoal)

ELETRÔNICOS

Em meio à essa preocupação socioambiental, o Sindicato das Empresas de Serviços Contáveis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas do Paraná (Sescap-PR) realiza a tradicional campanha E-Lixo nesta quinta-feira (6).

O intuito é garantir a correta destinação de materiais como computadores, impressoras, rádios, celulares, televisões e câmeras fotográficas. Desde 2011, já foram recolhidos mais de 500 toneladas de materiais descartáveis em cidades como Apucarana, Arapongas, Cascavel, Curitiba, Guarapuava, Maringá, Sabáudia, Toledo e Umuarama.

De acordo com Giselle Tocheto, diretora do Sescap-PR, a campanha é importante porque muitos desses materiais possuem elementos nocivos que se descartados de forma incorreta podem contaminar rios e lençóis freáticos.

Na famosa “terra do lobo bravo”, a ação ocorrerá das 9h às 17h, na Praça 9 de Dezembro e na sede as Secretaria do Meio Ambiente (Parque das Araucárias – BR 277, km 343).

Veja Também