Guarapuava, 17 de novembro de 2019
Cotidiano

A medida para reorganizar o transporte público de passageiros passa por aproveitar a estrutura já existente, caso dos terminais da Fonte e do Trevo, e construir mais duas unidades

-

O Plano de Mobilidade Urbana de Guarapuava (PlanMob) trouxe propostas para reorganizar o sistema de transporte coletivo da “terra do lobo bravo”. Essas as medidas são consideradas altamente viáveis, segundo o documento.

A longo prazo, uma das proposições é a construção de dois terminais de passageiros nos bairros Morro Alto e Cascavel, que se somariam às unidades Fonte e Trevo, que estão em funcionamento no município. 

De acordo com o PlanMob, essa reorganização do serviço se concentra principalmente no desenvolvimento do sistema em bacias de alimentação. Nesse ponto, há o aproveitamento da estrutura já existente na cidade, e o reajuste das linhas existentes. 

“As alterações são gradativas e evoluem no cenário de curto a longo prazo”, consta no plano; em um primeiro momento, busca-se a definição da bacia no Norte de Guarapuava, alimentando o Terminal do Trevo, que se integra ao Terminal da Fonte.

CONEXÃO

A curto prazo, o documento aponta que as medidas baseiam-se na simplificação dos itinerários através da “linearização de traçados circulares” e a consolidação do Trevo com a subdivisão das linhas com circulação por ele. 

“Dessa maneira, as linhas podem ser classificadas como alimentadoras do Terminal do Trevo, linhas convencionais, com operação no Terminal da Fonte, e as linhas Troncais ou inter-troncais, que conectam ambos os terminais”, aponta o PlanMob.

AVENIDA

No trânsito, um dos pontos que vem dando dor de cabeça aos motoristas guarapuavanos é a “rotatória do cavalo”, localizada entre as avenidas Manoel Ribas e Sebastião de Camargo Ribas.

Na avaliação do plano, esse trecho tem péssimos índices de operação, uma vez que se tem um tempo de espera longo e um grande volume de congestionamento. 

Nesse sentido, para corrigir esse local o projeto propõe a implantação de semáforo na intersecção das avenidas, e da Manoel Ribas com a rua Inácio Karpinski, com um tempo de ciclo de 80 segundos. 

Também é prevista a proibição da conversão à esquerda da Manoel Ribas para a Sebastião Camargo Ribas e a Inácio Karpinski. “Implantação de binário, sendo a Sebastião de Camargo Ribas sentido São Cristóvão, e a Inácio Karpinski sentido Vila Carli”, pontua o plano, acrescentando que “para conversão à esquerda, deve-se fazer o laço utilizando-se das ruas Francisco Pacheco e Palmira K. Rocha”, consta no documento. 

Em linhas gerais, essa medida tem viabilidade considerada média, com um investimento previsto em R$ 3 milhões e um prazo considerado curto, com implantação até 2024.

Veja Também