Guarapuava, 19 de fevereiro de 2019
Agricultura

Show Rural segue até sexta-feira (8), em Cascavel/PR. Produtores poderão conferir as indicações, os benefícios, qualidade e o posicionamento agronômico dos trigos do portfólio e exclusivos para alimentação animal

-

“Quero muito plantar trigo no inverno. Ajuda a proteger o solo, reduz as plantas daninhas e, combinado a um clima bom, rende um dinheiro além da soja. Só não quero atrasar a safra de verão”. Esta é uma opinião comum dos produtores que pelo risco acabam optando muitas vezes por deixar o solo descoberto no inverno. No Paraná, uma nova cultivar de trigo vai ajudar a escalonar a produção das duas culturas: soja no verão e trigo no inverno. A cultivar do portfólio da Biotrigo Genética será apresentada no Show Rural Coopavel, que acontece até sexta-feira (8), em Cascavel/PR.

Segundo Fernando Michel Wagner, gerente regional norte (PR, SP, Cerrado, Paraguai e Bolívia) da Biotrigo Genética, explica que a proposta da nova cultivar TBIO Ponteiro é reduzir os riscos de atrasar a soja, ajudar o produtor a otimizar os processos e aproveitar ao máximo a propriedade durante o ano inteiro. “É uma cultivar ideal para abrir a semeadura porque tem um ciclo vegetativo mais longo, especialmente bom para produzir na região fria do Paraná, como nos Campos Gerais”. Outra característica importante é a resistência à Brusone, doença comum na região de transição e norte do Paraná, onde o clima é mais quente. “A vantagem desse trigo é que ao semear mais cedo, desejo dos produtores nessas regiões, teremos uma condição genética superior pelo nível de resistência que este material entrega no campo quando há a ocorrência da doença, especialmente frequente nas primeiras semeaduras. O agricultor abriu mão de semear cedo no passar dos anos tendo receio de perder a lavoura com a enfermidade, mas com o avanço do melhoramento genético, conseguimos trazer mais segurança frente à Brusone. Não existe cultivar imune, mas há uma grande diferença entre elas, e o TBIO Ponteiro é uma das que se destaca”, complementa.

Sérgio Granado, engenheiro agrônomo de São Jerônimo da Serra/PR, conta que semeou a cultivar TBIO Ponteiro na safra passada na Fazenda Vedovati e observou de perto esses diferenciais da cultivar. Segundo ele, mesmo com um ano de seca, a produtividade foi muito boa. “O TBIO Ponteiro conseguiu, mesmo com todas as condições desfavoráveis do ano, dada a forte seca, se estabelecer, se desenvolver e apresentar uma performance muito boa. Esse realmente foi um diferencial quando comparado a outros materiais que tínhamos na propriedade, plantados lado a lado com ele. Produzindo nessas condições, mostrou ter uma grande estabilidade e nos faz crer que, em condições normais, a cultivar deva nos proporcionar altos tetos produtivos. Além da tolerância à seca, teve excelente desempenho frente à epidemia de Oídio que enfrentamos, comum em anos secos”, destaca. A nova tecnologia será multiplicada em 2019 e comercializada em 2020.

BRANQUEADOR

Outra novidade que também chega ao produtor para multiplicação já na próxima safra e para comercialização em 2020 é o TBIO Duque. Deodato Matias Junior, supervisor comercial da Biotrigo, explica que a cultivar, classificada como trigo branqueador, possui qualidade industrial para panificação e se diferencia entre outros trigos branqueadores do mercado pela excelente sanidade e facilidade na condução da lavoura. “Trigos classificados como branqueadores normalmente apresentam germinação na espiga e alta suscetibilidade às principais doenças do trigo, tanto foliares quanto de espigas, onerando o custo de produção do triticultor. No caso do TBIO Duque, o material apresenta ciclo, sanidade e produtividade diferenciada, além da qualidade industrial desejada pelos moinhos, possibilitando uma maior liquidez aos produtores”, comenta.

Veja Também