Guarapuava, 06 de dezembro de 2019
Economia

Conhecida como a Capital Paranaense da Cevada e do Malte, Guarapuava produz 40% da cevada do país

-

Desde 2017, através da lei nº134/2017, de autoria da deputada estadual Cristina Silvestri, Guarapuava passou a ser denominada a Capital Paranaense da Cevada e do Malte, devido à expressiva produção de cevada do município.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 60% da cevada colhida no país é proveniente do Paraná. A estimativa de produção da safra de 2018, por exemplo, apontava que o Brasil produziria 427.394 toneladas de cevada, destas, 251.968 provenientes do Paraná e, dentro deste contexto de produtividade paranaense, 174.225 toneladas são originárias de Guarapuava, de acordo com levantamento do Deral (Departamento de Economia Rural do Paraná).

Portanto, os números revelam que a “terra do lobo bravo” é responsável por cerca de 40% de toda a cevada produzida nacionalmente. Além da intensa produção de matéria-prima, Guarapuava também abriga a maior maltaria da América Latina, a Agrária Malte, que atende aproximadamente 30% da demanda nacional.

O responsável por uma cervejaria deve seguir os parâmetros legais do Ministério da Agricultura, Anvisa e Inmetro, desde as normas de layout da indústria e boas práticas de fabricação, até as questões que envolvem qualidade, certificação e registro da cervejaria e do produto.

Nessa conjuntura, nos últimos anos, os produtores de cerveja de Guarapuava têm buscado a formalização das atividades. Atualmente, a cidade conta com oito cervejarias registradas, e outras sete ciganas (colaborativas).

NOVA

A mais recente microcervejaria guarapuavana certificada é a Irmandade. Como o próprio nome sugere, a empresa surgiu de uma sociedade entre irmãos, que, há cinco anos começaram a produzir cerveja nos fins de semana de festividades da família.

“Começamos nas confraternizações familiares, mas gostamos muito da produção, e percebemos que o trabalho poderia tornar-se profissional. Depois, passamos a vender as cervejas Irmandade em feiras da cidade, e vimos uma aceitação muito boa do público”, conta o sócio-proprietário da Irmandade, Ricardo de Almeida Lima.

Buscando a profissionalização, os sócios da Irmandade aprimoraram os conhecimentos e técnicas de todo o processo industrial da produção de cerveja.

“No início, nós fazíamos as cervejas na panela. Quando trocamos a panela pela produção em série, compreendemos que o processo é muito mais aprimorado. Hoje, estamos atuando com todas as certificações e registros necessários”, explica Ricardo.

A Irmandade fica localizada no bairro Primavera, em Guarapuava (Foto: Assessoria)

OPÇÕES

Com o domínio da produção em série e parâmetros legais em dia, os empreendedores decidiram abrir a microcervejaria Irmandade, com 12 opções de cerveja (a princípio) e cardápio diferenciado.

“Nossa diversidade de cervejas passa por todas as escolas cervejeiras mais importantes do mundo, temos influências das produções belgas, alemãs, americanas e inglesas. Nosso cardápio compreende desde as opções mais ‘fracas’, com 4,5% de álcool, até 10%. Temos também uma variedade entre pouco e muito amargas, escuras e claras, mais complexas (muito aroma e sabor) e outras mais simples. Além disso, trabalhamos com cervejas ácidas à base de frutas, puro malte, base de lúpulo, fermentação com levedura selvagem. Enfim, a Irmandade produz diversidade com qualidade”, declara o sócio-proprietário da microcervejaria.

O bar está localizado na rua Leonardo Valente Hiczy, 304, bairro Primavera. O horário de funcionamento é de quarta a sexta a partir das 17h30, e sábado e domingo a partir das 14h.

INCENTIVO

A Secretaria Municipal de Turismo tem fortalecido o projeto Caminhos do Malte, que integra o programa Guarapuava Turística 2026 e visa incentivar o empreendedorismo cervejeiro e o consumo da cevada e do malte na alimentação.

"Com o projeto, estimulamos os produtores artesanais e comerciais a explorarem toda a potencialidade da produção em Guarapuava e mostrarem aos turistas a qualidade de nossos produtos, gerando um sentimento de pertencimento e orgulho do título Capital da Cevada e do Malte”, explica o vice-prefeito e secretário de Turismo e de Obras, Itacir Vezzaro.

De acordo com a coordenadora do projeto Caminhos do Malte, Leila Pires, a consolidação da cidade como um polo cervejeiro do Paraná será possível através do fortalecimento da cadeia comercial da cevada e do malte. Para tanto, a Prefeitura de Guarapuava vai inaugurar, ano que vem, a Cervejaria Incubadora da Antecerva.

“Acreditamos que em 90 dias será a inauguração. A Incubadora será um espaço para as pessoas que tem vontade de legalizar a sua produção de cerveja, mas não tem dinheiro para investir na sua própria fábrica. Inicialmente, abriremos vagas para 12 produtores”, afirma Leila.

Veja Também