Guarapuava, 24 de junho de 2019
#curta!

A saga dos mutantes na telona continua nesta quinta-feira (6), com a estreia nacional de “X-Men: Fênix Negra”. A nova produção da Fox tem como personagem principal Jean Grey, mutante que sucumbe a uma poderosa força cósmica

-

Quando você assiste ao trailer de “X-Men: Fênix Negra” (2019), a primeira coisa que vem à mente é “o que a Sansa Stark está fazendo aí?!”.

Conhecida pelo papel na série de TV “Game of Thrones”, a atriz Sophie Turner vem desde “X-Men: Apocalipse” (2016) tentando se tornar popular na telona com a personagem Jean Grey, da franquia de mutantes.

A nova produção da Fox tem tudo pra dar certo: o carisma dos X-Men, a força da personagem-título e o fato de ser um blockbuster da linha “filme de gibi”. O longa-metragem “X-Men: Fênix Negra” tem estreia nacional nesta quinta-feira (6), com sessões programadas para a rede exibidora de Guarapuava – 16h30 e 19h (dublado); e 21h30 e 19h15 (legendado).

Mas a produção também corre o risco de naufragar, repetindo a decepção com filmes mais recentes baseados no universo dos X-Men (grupo criado pela Marvel Comics nos quadrinhos). Afinal, essa nova fita ainda não é integrada ao Universo Cinematográfico Marvel.

ENREDO

Escrito e dirigido por Simon Kinberg, o longa se passa em 1992. Os X-Men são considerados heróis nacionais e o professor Charles Xavier (James McAvoy) agora dispõe de contato direto com o presidente dos Estados Unidos.

Quando uma missão espacial enfrenta problemas, o governo convoca a equipe mutante para ajudá-lo. Liderado por Mística (Jennifer Lawrence), os X-Men partem rumo ao espaço em uma equipe composta por Fera (Nicholas Hoult), Jean Grey (Sophie Turner), Ciclope (Tye Sheridan), Tempestade (Alexandra Shipp), Mercúrio (Evan Peters) e Noturno (Kodi Smit-McPhee).

Ao tentar resgatar o comandante da missão, Jean Grey fica presa no ônibus espacial e é atingida por uma poderosa força cósmica, que acaba absorvida em seu corpo. Após ser resgatada e retornar à Terra, aos poucos ela percebe que há algo bem estranho dentro de si, o que desperta lembranças de um passado sombrio e, também, o interesse de seres extraterrestres.

ORIGEM

A produção hollywoodiana toma como base a “A Saga da Fênix Negra”, um arco de histórias que marcou época e é considerado um dos melhores dos X-Men nos quadrinhos da Marvel.

Escrita por Chris Claremont e com arte de Dave Cockrum e John Byrne, a saga conta a história de Jean Grey e a Força Fênix. O material completo saiu entre 1976 e 1980 nos Estados Unidos.

É curioso como uma personagem insossa como a Garota Marvel (antigo codinome da Jean), no início das aventuras dos mutantes nos anos de 1960, acabou se transformando numa das grandes ameaças nos gibis da Marvel. Assim, ela entrou para os anais da Nona Arte.

 

Veja Também