Economia

Em Guarapuava, executivo da Fiep apresenta planos de melhoria de infraestrutura e logística

O Pelt 2035 é um documento que traça um raio-x das obras prioritárias para o desenvolvimento do Estado e para contribuir para um Paraná mais moderno e competitivo
(Foto: Cristiano Martinez/Correio)

O Plano Estadual de Logística em Transporte do Paraná 2035 (Pelt) foi apresentado na manhã desta sexta-feira (11), na Casa da Indústria, em Guarapuava.

Diante de uma plateia formada por empresários locais, o executivo do Conselho de Infraestrutura da Fiep, João Arthur Mohr, explicou que o documento quer 120 propostas de projetos e intervenções nos diferentes modais para implementação em todo o Paraná até o ano de 2035.

Em construção desde 2015, o Pelt é um esforço conjunto de quase duas dezenas de entidades civis para melhorar a competitividade e o transporte de produtos nas rodovias, aeroportos, ferrovias e o Porto de Paranaguá.

Mohr tem percorrido o Paraná a fim de apresentar as ideias do Pelt 2035 e buscar investimentos para tirar as ideias do papel. Inclusive, nesta sexta-feira (11), ele viaja para a Rússia a fim de fazer contato com uma empresa ferroviária.

Em entrevista ao CORREIO, ele disse que a realização do plano depende da conjunção de quatro entes. “Precisamos da união de esforços dos concessionários, dos usuários, dos investidores e dos governos”, destacando que os recursos devem sair das iniciativas privada (80% do montante) e pública (20%).

O executivo também acrescenta que é importante rever o modelo de concessões de pedágio das rodovias do Estado e apostar nas Parcerias Público-Privadas.

GUARAPUAVA

No caso específico de Guarapuava, o mapeamento do Pelt 2035 identificou a necessidade de obras rodoviárias de duplicação na BR 277, nos dois sentidos; e a ampliação da PR 466, na linha Guarapuava/Pitanga.

No caso do modal ferroviário, ele explicou que precisa haver melhorias imediatas no trecho entre Guarapuava e Paranaguá; e a construção de uma nova estrada de ferro nesse mesmo itinerário, mas em médio prazo.

Executivos locais participaram da reunião (Cristiano Martinez)

E, no modal aeroviário, o Pelt 2035 tem acompanhado e aprovado as obras atuais no aeroporto municipal de Guarapuava. A saber: a ampliação da pista e a construção de um novo terminal de passageiros. Com isso, logo o município vai receber uma linha comercial no formato de escala. “Esse investimento em Guarapuava tem de ser público, pois não compensa para um investidor privado”, analisa Mohr.

Ele diz que uma pesquisa de origem/destino revelou que não existe demanda de voos comerciais nascidos em Guarapuava. Por isso, a operação no município será com escalas, o que se torna viável para uma empresa comercial. “Ou seja, não precisa de demanda de passageiros locais”.

ACOMPANHAMENTO

O Pelt 2035 é um planejamento vinculado ao Fórum Permanente Futuro 10 Paraná, que reúne quase duas dezenas de entidades, como é o caso, por exemplo, da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).

Após a elaboração e apresentação, o Fórum seguirá acompanhando as ideias propostas e as obras em curso. Os interessados podem se atualizar no site do grupo.

ENTENDA

O Pelt 2035 é um documento que traça um raio-x das obras prioritárias para o desenvolvimento do Estado e para contribuir para um Paraná mais moderno e competitivo. A expectativa é que o Plano direcione os investimentos públicos e privados para minimizar os gargalos na infraestrutura de transporte.