Paraná tem dez atletas confirmados nos Jogos de Tóquio; um deles é o guarapuavano Welder Knaf

São duas vagas confirmadas para a Olimpíada e oito na Paralimpíada. Programa do Governo do Estado, o Geração Olímpica completa 10 anos e mais de 10 mil atletas e técnicos do Paraná receberam bolsas em forma de apoio financeiro

Faltando um mês para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, o Paraná já tem 10 atletas e técnicos com vagas confirmadas na delegação brasileira. Dois participarão da Olimpíada e oito da Paralimpíada. Todos são bolsistas do Programa Geração Olímpica, do Governo do Estado.

Nove deles fazem parte da Categoria Olimpo do programa, cuja lista foi divulgada na terça-feira (22) a partir da análise da inscrição em conformidade e documentos comprobatórios de convocação pelas entidades oficiais. Além desses, uma outra atleta, que fez inscrição para a Categoria Nacional, também confirmou sua vaga para os Jogos.

Os nove atletas contemplados até aqui na Categoria Olimpo do programa Geração Olímpica e já confirmados em Tóquio são: Ágatha Bednarczuk Rippel – vôlei de praia; Ana Sátila Vieira Vargas – canoagem slalom; Carminha Celestina de Oliveira – esgrima em cadeira de rodas; Giovane Vieira de Paula – paracanoagem; Jovane Silva Guissone Esteio – esgrima em cadeira de rodas; Mari Christina Santilli – paracanoagem; Rodrigo Ferla Martins – técnico da seleção de parataekwondo; Vítor Gonsalves Tavares – parabadminton; e o guarapuavano Welder Camargo Knaf – tênis de mesa em cadeira de rodas.

Nessa categoria, o valor mensal do apoio é de R$ 3.000,00 por seis meses.

Já a atleta inscrita na Categoria Nacional, cuja passagem para Tóquio também está garantida, é Adriana Gomes de Azevedo, da paracanoagem. A seleção desta modalidade foi divulgada na 2º listagem publicada. A bolsa de apoio é de R$ 1.000,00.

DESTAQUES
Um dos principais destaques desse time de atletas do Paraná é Ágatha Bednarczuk, que foi medalhista de prata na Rio 2016 e a primeira da lista a confirmar sua vaga, em virtude do ranking no Circuito Mundial de Vôlei de Praia, em 2019. Ela é bicampeã desse circuito – em 2015, ao lado de Bárbara Seixas, e em 2018 junto da atual parceira, Duda Lisboa.

Para Ágatha, que é bolsista desde 2013, a amplitude do programa, atendendo desde jovens talentos até campeões de nível mundial, é um dos principais fatores de seu sucesso.

Foto: Thiago Chas/Paraná Esporte

“Esse programa Geração Olímpica é maravilhoso. A gente costuma muito ver apoio para os atletas depois que já se conquistou algo, depois dos resultados. Principalmente para os atletas mais jovens, é o dinheiro dessa bolsa que vai ajudar a chegar ao treino, se alimentar melhor ou participar de uma competição”, diz. “Me sinto super honrada de ser praticamente uma embaixadora do programa”.

O time é repleto de vencedores. O paranaense Jovane Guissone já foi campeão mundial de esgrima em cadeira de rodas, Welder Knaf tem uma medalha de prata dos Jogos Paralímpicos de Pequim (2008) e a Ana Sátila ganhou uma etapa da Copa do Mundo da canoísta (2020).

A seleção ainda traz um técnico contemplado, Rodrigo Ferla, do parataekwondo. O Geração Olímpica foi pioneiro no Brasil em beneficiar técnicos em programas de bolsa de incentivo esportivo.

“A ideia lá atrás, em 2012, no início do programa, era aumentar o número de atletas e técnicos nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos”, lembrou Ferla. “Agora somos também protagonistas nesses grandes eventos”.

EDIÇÃO COMEMORATIVA
O ano de 2021 celebra a décima edição do Programa Geração Olímpica. Neste período, mais de dez mil atletas e técnicos do Paraná receberam bolsas em forma de apoio financeiro. Um programa realizado pelo Governo do Estado, por meio da Superintendência do Esporte, com o patrocínio da Companhia Paranaense de Energia -Copel.

É o maior programa entre todos os estados. Na edição 2021, serão 1.250 bolsas ofertadas para atletas em formação a estrelas que disputarão os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio.