Liga de Futebol de Guarapuava terá foco nas categorias de base em 2022

Ao CORREIO, o presidente da LFG, Fernando Guiné, contou sobre a reestruturação da liga e o planejamento esportivo para este ano

Com um planejamento já bem estruturado para 2022, a Liga de Futebol de Guarapuava (LFG) deve anunciar em breve o calendário esportivo para este ano. A LFG está sem realizar competições desde o início da pandemia.

Em entrevista ao CORREIO, o presidente da Liga, Fernando Guiné, que está no cargo há cinco meses, destacou que esse período foi de reestruturação. “Nós temos feito uma série de contatos com dirigentes, atletas, autoridades e logo na sequência nós estamos construindo um planejamento. O trabalho foi muito mais de contatos, regularizações e planejamentos. Nós temos que ter recursos, recursos dos mais diversos, recursos financeiros, recursos humanos, recursos estruturais”.

Hoje a Liga está regularizada junto à Federação Paranaense de Futebol (FPF), com taxas de alvarás pagas. Outras questões administrativas também já foram atualizadas.

Atualmente, o Paraná conta com apenas cinco ligas de futebol filiadas à FPF, e a de Guarapuava é a única fora da região metropolitana de Curitiba. As outras ficam em Campo Largo, Araucária, Colombo e São José dos Pinhais. “Nós temos todo um potencial de trabalho e agora com esta repaginação nós pretendemos colocá-lo em prática”, diz Guiné.

CAMPEONATOS
No dia 3 de fevereiro, no auditório da Faculdade Guairacá, a LFG irá anunciar o calendário de competições para 2022.

No entanto, o presidente já adiantou ao CORREIO as categorias que estarão sendo disputadas. “Eu já aproveito para ressaltar que nós temos um foco muito voltado às categorias de base. Nós teremos categorias de base em três faixas etárias, feminino em duas faixas. Teremos também uma competição de futebol suíço para três faixas de veteranos e nós teremos também o campeonato amador”, revela.

As equipes filiadas à liga precisam participar do amador e no mínimo de uma das faixas etárias das categorias de base. “Nada impede também que no segundo semestre já com o trabalho em andamento, mais estruturado, nós lancemos outras competições, mas basicamente já estão definidas que serão realizadas essas competições”, pontua.

OBJETIVO
De acordo com Fernando, o foco nas categorias de base tem um motivo. O desejo da Liga é trabalhar não apenas o esporte, mas agregar valores a partir dele. “Nós queremos fazer um trabalho que não seja simplesmente fazer competições e entregar troféus, nós queremos fazer um trabalho que agregue valores: saúde, inserção social, entretenimento e cidadania. Mesmo sendo amador, nós precisamos organizar cada vez mais, não pode haver espaço para a violência. No aspecto disciplinar nós seremos bastante cuidadosos”.

De acordo com Fernando, o foco nas categorias de base tem um motivo. O desejo da Liga é trabalhar não apenas o esporte, mas agregar valores a partir dele (Foto: Redação)

PARCERIAS
Para desenvolver as atividades e manter a estrutura física e de pessoal, a Liga depende de incentivos públicos e também do setor privado. Guiné destaca que a receptividade dos parceiros está sendo muito boa e lembra que a organização dos campeonatos precisa desse incentivo.

“Algumas pessoas que não acompanham muito de perto podem pensar: ‘poxa, mas é por futebol amador, por que dinheiro?’ e é lógico que não se faz a prática do esporte sem a questão financeira, então tem que ter dinheiro. Para ter organização, para ter um calendário de competições, para poder frente às necessidades estruturais”.

SERVIÇO
Os interessados em contribuir e/ou patrocinar os campeonatos podem entrar em contato com o presidente da Liga pelo telefone (42) 9 9984-6773.

A partir de fevereiro, a sede da LFG estará aberta no edifício Nossa Senhora de Belém, na XV de Novembro, 7.466, sala 304.