‘Eu quero montar um time para subir’, diz empresário parceiro do Batel

Para a disputa do Campeonato Paranaense da 3ª Divisão, temporada 2021, o diretor de Futebol, Rocha, apresentou nesta semana o técnico Rubens Sanches, o Maradona, e a parceria com os empresários Luis Boca e Marquinhos Paraná. A estreia do Rubro-Negro será em 2 de outubro, em casa, contra o Grecal

De olho na 3ª Divisão de 2021, que começa em 2 de outubro, os clubes participantes começam a movimentar os bastidores do futebol profissional do Paraná.

Um deles é o representante de Guarapuava na Terceirona. Nesta semana, o diretor de Futebol da Associação Atlética Batel, Rocha, apresentou o técnico – Rubens Sanches, o Maradona – e a empresa parceira do clube.

Os empresários Luis Boca e Marquinhos Paraná vão trabalhar na montagem do plantel de jogadores do Rubro-Negro da Baixada. Em entrevista ao CORREIO, Marquinhos adiantou que o planejamento é formar um time com jogadores experientes e pratas da casa. Inclusive, os atletas contratados devem chegar a Guarapuava a partir do dia 20, oriundos de outros estados.

No entanto, o objetivo é aproveitar o Sub-19 do Batel que vem treinando sob o comando de Rocha desde o início do ano. “A base vai ter uma quantidade boa que vai subir junto com os jogadores experientes. Vai ser um time mesclado”, avisa o empresário.

Como historicamente o Paranaense é um campeonato calejado, Marquinhos prevê uma 3ª Divisão de grande dificuldade, com bons clubes. “Não podemos montar time ruim”, avalia.

O empresário tem história nas divisões do Paranaense, tendo formado elencos que conquistaram o acesso à 1ª Divisão. É o caso do Nacional de Rolândia, em 2014; e do CE União de Francisco Beltrão, em 2019. Além do grande time do Atlético Clube Paranavaí (ACP), que se classificou para o quadrangular final em 2017, surpreendendo muita gente. “Sou calejado”, afirma Marquinhos.

Por isso, sua passagem em Guarapuava não será a passeio. “Eu quero montar um time para subir. Eu não vou montar time, como se diz, ‘pra manter’. O meu objetivo aqui é subir o Batel”, diz.

Meninos do Sub-19 trabalham desde o início de 2021 sob o comando do diretor Rocha (Foto: Ricardo Radin)

FAVORITOS
Em relação ao nível da Terceirona, Marquinhos Paraná espera dificuldades em 2021. Dos 12 times inscritos, segundo ele, pelo menos quatro têm condições reais de brigar pelas duas vagas do acesso. Principalmente o tradicional Batel, o forte Foz do Iguaçu FC e o novíssimo Aruko Sports Brasil (de Maringá).

As equipes foram divididas em dois grupos regionalizados. No Grupo A, estão GEM/Arapongas EC, A. Portuguesa Londrinense, Aruko Sports Brasil, CA Cambé, EC Laranja Mecânica e Rolândia Esporte Clube (REC). E no Grupo B: Batel, AC Paranavaí, Foz do Iguaçu FC, Grecal, Iraty SC e Patriotas FC.

“Pelo conhecimento que eu tenho, é o ‘Grupo da Morte’. A gente vai entrar quietinho, com o pé no chão. E, no decorrer da competição, eles vão ver quem é o time do Batel”, diz Marquinhos, avaliando o chaveamento da equipe batelina.

Na estreia, em 2 de outubro (sábado), o Batel receberá o Grecal no Estádio Waldomiro Gelinski. A partida está programada para começar às 15h30.

No mesmo dia e horário, Patriotas FC e Iraty SC vão duelar em Campo Largo, no Atílio Gionédis; e Paranavaí x Foz do Iguaçu no Estádio Dr. Waldemiro Wagner, em Paranavaí. Ambos os jogos pela 1ª rodada do Grupo B.