Calendário das competições de base segue indefinido para 2021

Sem jogos em 2020 por conta da pandemia de Covid-19, categorias como Sub-15, Sub-17 e Sub-19 vivem em compasso de espera pelos campeonatos estaduais deste ano. Por enquanto, a única informação é de que a retomada poderia ser a partir do segundo semestre

A pandemia de Covid-19 provocou uma espécie de lacuna na formação dos atletas. A última temporada com jogos envolvendo a base ocorreu em 2019. De lá para cá, categorias tradicionais como Sub-15, Sub-17 e Sub-19 estão em compasso de espera pelas competições no Paraná.

Em 2021, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) teve de adiar o início das categorias de base para o segundo semestre, mas ainda sem data oficial. Nem os famosos arbitrais foram realizados. Tudo dependerá da velocidade de vacinação.

Mesmo assim, alguns clubes deram o start na fase de preparação; ou pelo menos estão com planejamento para a disputa. No Noroeste do Estado, o Maringá Futebol Clube retomou nesta semana as atividades de sua categoria de base, após um ano e dois meses sem treinamentos oficiais por conta da pandemia. O início da pré-temporada da equipe Sub-19 se deu na segunda-feira (14).

Segundo informações, o retorno das atividades dos “Meninos do Ingá” marca também a reformulação na metodologia de trabalho na base do Tricolor Maringaense. A partir de agora, o clube não terá apenas uma equipe da região como parceiro e fornecedor de atletas, da forma que ocorria anteriormente. Agora, o clube já possui quatro parceiros oficiais e está aberto para todas as escolas e equipes da região que tenham o interesse em fazer parte do MFC, cedendo atletas para a disputa de competições importantes, federadas e de alto desempenho, estaduais e nacionais. Além de gerar a oportunidade ao jovem em se tornar jogador profissional.

“Um dos nossos objetivos é tornar o Maringá Futebol Clube um grande formador e também fornecedor de atletas para grandes equipes do futebol nacional e mundial, e óbvio que também para nossa equipe principal, como já está ocorrendo nos últimos anos”, explicou o presidente do MFC, João Vitor Mazzer, via site do MFC.

E os dois clubes representantes de Guarapuava já haviam informado, no início do ano, que entrariam em campo para a disputa das categorias de base.

ROLÂNDIA
Uma das grandes novidades em 2021 foi a “compra” do Nacional Atlético Clube (NAC), um dos times mais tradicionais do interior paranaense. O Guerreiro do Norte defende as cores do município de Rolândia (na Região Metropolitana de Londrina, a RML).

Mas, por enquanto, as categorias de base devem treinar em Marialva, na Região Metropolitana de Maringá. Segundo o Grupo Perfil 90, que passou a administrar o NAC, o Centro de Formação foi transferido para a chamada Capital da Uva, onde conta com uma estrutura de três campos de futebol que passa a se chamar Centro de Formação NAC. Mas os jogadores do profissional ficarão alojados e treinarão em Rolândia, utilizando gramados em distritos e o Estádio Érich Georg.

Para o ano de 2021, o Nacional pretende disputar a 2ª Divisão no profissional e as competições estaduais de base: Sub-15, Sub-17 e Sub-19.

CAMBÉ
Ainda na RML, o Cambé Atlético Cambé (CAC) anunciou em abril a suspensão do trabalho da categoria juniores, justamente pela falta de calendário.

“É inadmissível uma federação rica como a nossa não nos dar notícias, um respaldo quanto às competições de base, nem um informativo, estamos caminhando para dois anos sem competição de base no Paraná, e nossos atletas perdendo seus anos, estou suspendendo o trabalho do Sub-19 até que tenhamos uma posição concreta de nossa federação”, disse o diretor de futebol, Disse Diogo Felipe, por meio do perfil oficial do clube.