Guarapuava, 17 de outubro de 2019
Cotidiano

O empresário Carlos Cesar Bueno Martins está há mais de 50 anos à frente de sua alfaiataria em Guarapuava. Entre um corte de tecido e as medidas de uma peça, o conhecido Carlinhos será reconhecido com o troféu Guerreiro do Comércio

-

Carinho e atenção para todos os pontos costurados: Carlos Cesar Bueno Martins (74 anos) demonstra com os olhos a paixão por aquilo que produz.

Carlinhos, como é popularmente conhecido em Guarapuava, trabalha desde os 12 anos de idade como aprendiz. Em 1961, começou no ramo da alfaiataria em Ponta Grossa; e três anos depois fixou residência na famosa “terra do lobo bravo”.

Ele fundou no dia 6 de janeiro de 1969 o próprio comércio: Alfaiataria Carlinhos. Cinquenta anos se passaram e, hoje, ele é reconhecido com o troféu Guerreiro do Comércio. A indicação foi feita pelo Sindicato do Comércio Varejista de Guarapuava (Sicomércio), e a premiação vai ser feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) nesta sexta-feira (12 julho).

“Eu não esperava. Para mim foi uma surpresa muito grande, e a satisfação foi enorme, né? É uma premiação que fala muito sobre perseverança e luta. Pensei se eu realmente era merecedor”, ressalta Carlinhos sobre a reação que teve ao receber a notícia de que iria representar o município na premiação.

Por conta dos avanços tecnológicos e das novas formas de produção, o experiente alfaiate vê com negatividade o seguimento de seu ramo no mercado. Segundo ele, a profissão está praticamente extinta. “A matéria-prima está muito difícil. Não se encontram mais tecidos, não existem mais lojas com tecidos. A tendência mesmo do alfaiate é acabar, infelizmente”.

ATUALIDADE

Atualmente, a empresa de Carlinhos conta com um quadro de seis funcionários diretos, além de outros que participam indiretamente das produções. A área mais procurada é a de locação. “A gente tem que acompanhar a tendência. Não adianta a gente bater de frente com a evolução. Hoje o cliente quer as coisas de imediato. Ele não tem mais paciência de vir até a loja, escolher o tecido, tirar a medida e provar”, justifica o alfaiate.

Mesmo com o cenário negativo em que o ramo da alfaiataria se encontra, Carlinhos afirma querer dar continuidade à carreira por um bom tempo. “Eu sou idoso, mas não sou velho. Eu brinco aqui com o pessoal que a hora que eu ficar meio gagá, começar a atrapalhar, eles têm que me fazer parar. Mas, por enquanto, eu acho que ainda tem umas ‘garrafas vazias para vender’”, comenta o profissional, entre risos.

Carlinhos, como é popularmente conhecido em Guarapuava, trabalha desde os 12 anos de idade como aprendiz (Foto: Ágata Neves)

PRÊMIO

A Fecomércio PR promove nesta sexta-feira (12 julho), às 19h30, em Curitiba, a 14ª edição do troféu Guerreiro do Comércio, em que destaca empresários e trajetórias de sucesso paranaenses.

Neste ano, 47 empresários ligados a sindicatos filiados à Fecomércio PR serão agraciados com a homenagem, em Curitiba, em evento celebrado no Centro de Eventos Expo Unimed, com patrocínio da Caixa Econômica Federal.

Os premiados são indicados segundo critérios de projeção, tempo de mercado, reconhecimento da comunidade e notoriedade empresarial. Com o prêmio, a Fecomércio PR pretende destacar os empreendedores que geraram oportunidades de trabalho e ajudaram a impulsionar e desenvolver o Paraná e o país. As histórias profissionais e pessoais passam por homens e mulheres inovadores e criativos ao empreender e por novos e antigos negócios que vencem desafios diários e crises para manutenção de empregos.

Os homenageados vão receber uma medalha no formato da Cruz de Malta, desenho formado por oito pontas. A cada uma das pontas representa um adjetivo diferente, atribuídos para a pessoa que recebe: observadora, confiável, inventiva, habilidosa, distinta, sábia, perseverante e encorajadora.

Desde que o prêmio “Guerreiro do Comércio” foi criado, em 2006, 633 empresários – de um total de 500 mil empresas paranaenses – foram homenageados.

Veja Também