Cultura

Teatro Municipal é aprovado por especialistas e público em sua estreia

Do público aos especialistas, o novo equipamento cultural da cidade passou com louvor em sua primeira prova de fogo. Recém-inaugurado, o Municipal sediou quatro apresentações entre sexta-feira (8) e sábado (9)
Primeiro concerto ficou a cargo da OSP (Foto: Cristiano Martinez/Correio)

Mais do que uma estrutura feita de tijolos, madeira e ferro, o Teatro Municipal de Guarapuava tem “alma”. Do público aos especialistas, o novo equipamento cultural da cidade passou com louvor em sua primeira prova de fogo. Recém-inaugurado, o Municipal sediou quatro apresentações entre sexta-feira (8) e sábado (9).

O palco profissional - com dimensões de 10,20m (boca de cena); 18,40m (fundo de palco); 9,45m (profundidade) – recebeu o concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP) e o espetáculo de dança “Carmen”, do Balé Teatro Guaíra. Tanto a acústica quanto a estrutura cenotécnica foram elogiados pelos artistas que vieram especialmente para Guarapuava.

“Uma iniciativa como essa [teatro] tem de ser aprovada e repetida no Brasil todo. O interior tem de mostrar que precisa e de que pode construir seus equipamentos culturais. É um exemplo para o nosso país ter um belo teatro assim numa cidade do interior”, avaliou o maestro baiano Ricardo Castro, em entrevista ao CORREIO. Ele regeu a OSP na noite de sexta-feira e no ensaio geral na tarde desse mesmo dia.

Segundo ele, se toda a cidade do porte de Guarapuava tiver um teatro o Brasil pode evoluir. Inclusive, coube à orquestra o privilégio de abrir as atividades do Municipal, apresentando um concerto recheado de Villa-Lobos, Beethoven e Mozart. “Foi muito bom trazer a Guarapuava os melhores músicos do Estado”.

O maestro revelou que o programa da noite de sexta-feira foi pensado em peças que pudessem agradar ao público guarapuavano e também servissem para testar a acústica do novo teatro. Entre uma pausa e outra, durante o concerto, Castro interagiu com a plateia, sem uso de microfone. Isso é uma prova de que o som reverberou da maneira correta no Municipal.

Maestro elogiou a iniciativa de um teatro em Guarapuava (Cristiano Martinez)

CENOTÉCNICA

De volta a Guarapuava, o secretário estadual de Cultura, João Luiz Fiani, gostou do que viu na noite de sexta-feira (8) no Municipal. Ator e empresário do ramo teatral, no ano passado ele prestou consultoria à Prefeitura, avaliando as instalações que estavam sendo construídas naquele momento.

A secretária municipal de Educação e Cultura, Doraci Senger Luy, recordou que Fiani disse, naquela ocasião, que o Municipal era um bonito auditório; mas que ainda não era um “teatro”. “A partir daquele momento, voltei a falar com o prefeito de que nós teríamos de ter a ‘alma’, que é a parte cenotécnica do teatro”, contou Luy.

Fiani brinca que “tumultuou” com seus palpites. “A gente pediu para alterar algumas coisas do projeto e foi alterado. Eu trouxe a equipe do Teatro Guaíra pra dar esse suporte”, destacando que ele estava emocionado pelo resultado final do Municipal.

BALÉ

No sábado (9), foi a vez do Balé Teatro Guaíra oferecer ao público a montagem do espetáculo de dança “Carmen”, que conta a trágica história de uma cigana assassinada por seu amante.

A diretora da companhia, Cintia Napoli, também elogiou a estrutura do Teatro Municipal de Guarapuava. “Ficamos muito felizes de ter um teatro em Guarapuava, pois é uma porta que se abre para a cultura como um todo. Nossa apresentação exige um espaço muito técnico e o Teatro de Guarapuava ofereceu tudo. O palco é incrível, tamanho, acústica, iluminação, tudo está perfeito. Está aprovadíssimo”, opinou Cintia, via assessoria.

Espetáculo de dança 'Carmen' foi a atração da segunda noite (Assessoria)

PONTE

Na avaliação do secretário João Luiz Fiani, o concerto da OSP e o espetáculo do Balé são o início de uma ponte entre o Teatro Guaíra e a cena cultural de Guarapuava. “Esse espaço [teatro] é maravilhoso”, acrescentando que o governo estadual mantém a proposta de interiorização da cultura no Paraná.

Ele explica, por exemplo, que o Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (Profice) já investiu somente na região de Guarapuava o valor de R$ 5 milhões.

USO

A diretora de Cultura, Rosevera Bernardin, avisa que os interessados em fazer uso do palco do Teatro Municipal devem conferir o procedimento sobre datas e funcionamento do espaço a partir do edital de credenciamento já publicado no site da Prefeitura de Guarapuava.