Esporte

‘Só a vitória nos interessa’, diz técnico

Neste domingo (11), o Batel faz um jogo importante contra a lanterninha do campeonato. O time rubro-negro da Baixada fez o último ‘apronto’ na manhã de hoje (9)
(Foto: Cristiano Martinez/Correio)

Ausente dos últimos jogos, o atacante Russo deve ser uma das novidades da Associação Atlética Batel (AA Batel) neste domingo (11), às 15h30, contra a Portuguesa Londrinense, em Apucarana. A partida no Estádio Mun. Olímpio Barreto vale pela sexta rodada do Campeonato Paranaense da Segunda Divisão 2018.

Segundo o técnico batelino Marcelo H. do Ó, tanto Russo quanto o zagueiro Adir conseguiram um efeito suspensivo da pena de quatro jogos e estão à disposição para enfrentar o lanterninha da competição.

Por outro lado, o rubro-negro da Baixada não poderá contar com Gustavo, Hudson e Caio, todos entregues ao Departamento Médico (DM); e o volante Álvaro, que cumpre suspensão em função de um cartão vermelho no jogo anterior (contra Independente São Joseense).

“Independentemente de quem for, a gente precisa da vitória pra dar um grande passo rumo à classificação. O grupo está preparado, pois treinou bem essa semana”, diz o “professor” Marcelo, em entrevista exclusiva ao CORREIO. Ele não quis adiantar a escalação do time, que fez o último “apronto” na manhã desta sexta-feira (9), no campo principal do Estádio Waldomiro Gelinski.

Um dos jogadores que treinou normalmente foi o goleiro Doni, o “paredoni” de 2017 durante a Terceirona. Antes do início do Paranaense deste ano, ele se contundiu em um dos dedos da mão e desfalcou o time titular, abrindo vaga para o terceiro goleiro, Robson. Até aqui, o reserva não tem comprometido a meta batelina.

Neste sábado (10), o técnico tem atividades com bola parada pela manhã e, à tarde, o elenco segue viagem para Apucarana.

Jogadores do Batel treinaram cobrança de faltas na manhã de hoje (dia 9)

ADVERSÁRIO

Tanto o técnico quanto o elenco do Batel pregam respeito ao adversário deste domingo (11). Apesar de a Lusinha estar em último lugar na tabela de classificação, Marcelo considera que o time londrinense fez bons jogos. “Temos de ir conscientes de que não será um jogo fácil”.

Por isso, o treinador prefere a estratégia da paciência durante o jogo, impondo o ritmo que o Batel tem mantido nas partidas disputadas até aqui.

CAMPO

Particularmente, o local do embate em Apucarana é familiar a Marcelo H. do Ó. Ele conta que começou sua carreira de jogador nessa cidade e, inclusive, morou no Bom Jesus da Lapa, estádio clássico da “capital dos bonés” e arena de Portuguesa Londrinense x Batel.

Será a primeira vez que Marcelo retorna a Apucarana na função de técnico de futebol. “Pra mim, será um dia especial”.

Nesse sentido, o estádio pode favorecer o rubro-negro de Guarapuava, uma vez que a organizada Torcida Força Jovem (TFJ) tem grande chance de fretar um ônibus até Apucarana e apoiar seu time. É uma situação muito diferente da Portuguesa, que joga fora de Londrina e praticamente sem torcida. “A única pressão que teremos é de conquistar os três pontos. Só a vitória nos interessa”, finaliza o técnico batelino.