Guarapuava, 25 de maio de 2019
Cotidiano

Em nota, a pasta ressaltou que o suporto "invasor" é ex-aluno da escola e conhecido por professores e funcionários da unidade de ensino

-

A Secretaria de Educação e Cultura de Guarapuava divulgou, na tarde desta terça-feira (19), um posicionamento sobre o caso de “invasão” que ocorreu em uma escola da rede municipal de ensino.

O vídeo “Invadi a escola do meu irmão pra fazer ele jogar CS”, que foi ao ar no dia 15 de março, causou polêmica e indignou a comunidade escolar. Até a tarde desta terça-feira (19), a publicação já conta com mais de 141 mil visualizações no Youtube.

Nela, um youtuber entra na Escola Municipal Raul Henrique Lupatelli, que fica no bairro Boqueirão, tira o seu irmão da sala de aula e coloca o menino para jogar Counter Strike (um jogo de tiro) em uma sala vazia. A ação foi resultado de um desafio da audiência do youtuber e tratada como "invasão".

“Tô indo lá na escola do P. e tentar de alguma forma colocar o P. pra jogar CS”, diz o rapaz na gravação. No final, quando deixa a unidade de ensino, ele responde para uma funcionária: “Eu tava fazendo umas fotinhas do P.”.

A ação revoltou pais e responsáveis pelas crianças que estudam na escola, devido à suposta facilidade com que o jovem conseguiu entrar no local.  “Meu coração de mãe tá doendo… precisamos de providências”, disse uma mãe. “Que perigo para nossas crianças”, apontou outra.

Contudo, a Secretaria ressaltou em nota que o “suposto invasor” é ex-aluno da escola e conhecido de funcionários e professores. “Na ocasião, para adentrar ao estabelecimento, solicitou aos funcionários da portaria permissão para conversar com a professora de seu irmão e a essa, disse que por motivos urgentes, necessitava se ausentar momentaneamente com ele”, afirma o texto

A nota ainda ressalta que a edição do vídeo retirou os diálogos com funcionários e professores.

“É importante nesse momento tranquilizar pais e alunos dos nossos estabelecimentos de ensino, ressaltando que se tratou de um caso atípico e isolado e que toda a rede municipal de ensino mantém um padrão de segurança em suas unidades, que serão reforçados após esse episódio”, completa.

Confira na nota na íntegra: 

A respeito do ocorrido na Escola Municipal Raul Henrique Lupatelli, a Secretaria Municipal de Educação esclarece:

O “suposto invasor”, na verdade, é irmão mais velho do aluno que aparece no vídeo e, um dos responsáveis por buscá-lo na Escola.

Na ocasião, para adentrar ao estabelecimento, solicitou aos funcionários da portaria permissão para conversar com a professora de seu irmão e a essa, disse que por motivos urgentes, necessitava se ausentar momentaneamente com ele.

Sendo conhecido dos funcionários e professores, pois é ex-aluno, todos os dias está na Escola buscando o irmão e sua família possui comércio próximo, foi permitida essa rápida ausência.

Ressalte-se que o vídeo postado pelo “suposto invasor” foi editado, pois não mostra a solicitação e os diálogos com os funcionários e professores, conforme relato desses.

É importante nesse momento tranquilizar pais e alunos dos nossos estabelecimentos de ensino, ressaltando que se tratou de um caso atípico e isolado e que toda a Rede Municipal de Ensino mantém um padrão de segurança em suas unidades, que serão reforçados após esse episódio.

Para finalizar, esclarecemos que as providencias cabíveis estão sendo tomadas, e que a família do invasor está sendo convocada ao estabelecimento de ensino.

Veja Também