Guarapuava, 21 de julho de 2019
Economia

Reunidos na sede do Sisppmug, os trabalhadores aceitaram a proposta de a administração pagar a reposição a partir do mês de setembro. Inicialmente, serão quitados 50% do valor da inflação nos salários

-

A proposta apresentada pelo prefeito Cesar Silvestri Filho aos servidores públicos na manhã desta terça-feira (18 junho) colocou fim à greve que havia começado na última sexta (14 junho). De portas fechadas, a direção do Sindicato dos Servidores, Funcionários Públicos e Professores Municipais de Guarapuava (Sisppmug) foi recebida pela administração municipal.

De acordo com Cristiane Wainer, presidente do sindicato, o pagamento da data-base será feito de duas maneiras. Inicialmente, será quitado 50% da inflação nos salários no mês de setembro. A partir daí, há possibilidade de pagar o restante já nesse mês, ou até o final do ano, com valores retroagidos a maio.

“Nós conseguimos abrir o diálogo diretamente com o prefeito, que era uma cobrança. A gente acha que é importante porque o diálogo tem que ser preservado”, afirmou Wainer, ressaltando que “greve é difícil para todo mundo”.

Apesar de reconhecer que a proposta de pagamento da reposição não é ideal, já que a categoria exigia os 4,94% referentes à inflação, Cristiane vê a decisão como um avanço.

“A Prefeitura alega que o momento não permite [o pagamento integral], e que dos encaminhamentos alguns eles não concordam, outros não tem intenção, mas que eles se comprometiam a fazer a reposição salarial”, diz.

Além disso, a reunião definiu que os servidores poderão repor os dias parados, evitando descontos na folha de pagamento.

A presidente do Sisppmug, Cristiane Wainer, coordenou a assembleia da manhã de hoje (Foto: Douglas Kuspiosz/Correio)

VALE-ALIMENTAÇÃO

A pauta de um auxílio-alimentação surgiu há pouco tempo no movimento. Essa reivindicação veio justamente para tentar compensar as perdas salariais causadas pelo não pagamento da data-base. Entretanto, a curto prazo, a administração municipal não irá implementar esse benefício.

“Segundo o prefeito, não é um pleito que ele considera nesse momento, então quanto ao vale não tivemos esse fator positivo. Mas, entendemos que se o prefeito mantiver o diálogo aberto, é uma coisa que a gente quer retomar e discutir, porque é um anseio dos servidores”, completa.

BALANÇO

Wainer vê a movimentação da categoria como positiva, já que servidores de diversas áreas aderiram à greve. “A gente não tem o intuito de prejudicar a população. Nosso intuito é comprovar como esses servidores são importantes”, ressalta.

Mesmo aceitando a proposta e suspendendo a greve, a categoria se mantém mobilizada na “terra do lobo bravo”. “Podemos a qualquer momento retomar caso não haja o real cumprimento daquilo que nos foi proposto na reunião de hoje [terça-feira]”.

Os manifestantes fizeram um ato em frente da Prefeitura (Foto: Douglas Kuspiosz/Correio)

PREFEITURA

Em uma nota encaminhada à imprensa na noite desta segunda (17), a administração municipal afirmou que considerava o movimento dos trabalhadores ilegal, e afirmou que a adesão foi de apenas 3%.

O texto também alega que o não pagamento da reposição ocorreu devido aos aumentos com os gastos com pessoal, ocasionados por investimentos nas áreas da Saúde e Educação. Devido a isso, o município ficou na faixa de alerta da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Com o fim da greve, o atendimento ao público deve ser retomado ainda na tarde desta terça-feira (18).

Veja Também