Cultura

Na rua, nos salões e ao ar livre

A partir de sábado (10), a tradicional festa do Carnaval tem opções para todos os gostos em Guarapuava: Carnaval de Rua, no Parque do Lago; baile com resgate das marchinhas, no GEC; e festival de rock, na Associação Fênix
(Foto: Arquivo/Correio)

Do rock às tradicionais marchinhas, o Carnaval em Guarapuava tem para todos os gostos a partir deste fim de semana. Na rua, nos salões ou open air (“ao ar livre”), os foliões podem se soltar à vontade no terceiro planalto paranaense.

Pelo quinto ano seguido, os irmãos Carlos Eduardo Burkhard, o Dudu do Contempla, e Ezaquias Ferreira de Freitas, o Zaque de Freitas, promovem o Carnaval de Rua. Neste domingo (11) e no feriado de terça (13), a partir de 17h, a bateria Já te Aliso e blocos carnavalescos darão o tom no deck do Parque do Lago, com entrada livre.

Não é de hoje que o guarapuavano curte uma folia em via pública. Ao final dos anos de 1950, a escola de samba “Já te Aliso”, fundada por Josuel de Freitas, o Tuto, saía pelas ruas animando a cidade.

Passadas algumas décadas, o Carnaval de Rua entrou em modo “stand by” em Guarapuava, retornando em grande estilo em 2014, quando Dudu e Zaque, que são filhos do Tuto, tomaram a iniciativa de criar uma bateria com o nome da antiga escola de samba: Já te Aliso.

“É um projeto que não apenas homenageia as antigas escolas de samba da cidade, mas busca a formação de público para a diversão”, observa Dudu, acrescentando que o fenômeno se repete nos clubes sociais, que têm organizado festas tradicionais, com as antigas marchinhas nos salões. “É uma ideia que ressoa nos guarapuavanos”.

No Parque do Lago, a alegria fica por conta da Já te Aliso (Arquivo/Correio)

SALÕES

Não é apenas o Carnaval de Rua que retornou nos últimos anos à cultura popular de Guarapuava. Nos salões, os confetes e serpentinas vão correr soltos entre o público.

É o caso do Guarapuava Esporte Clube (GEC), que promove uma autêntica comemoração ao som de marchinhas e animação no sábado (10), domingo (11) e segunda-feira (12), véspera do feriado, em seu Salão Social (rua Brigadeiro Rocha, 1.000, Centro). Serão dois bailes e uma matinê.

“O Carnaval do GEC não acontece desde 2012. Eu percebi que poderia contribuir com minha experiência. Assim, propus uma parceria para viabilizar o Carnaval, entre a loja Heaven e o clube”, diz um dos organizadores da festa, o empresário e músico Leandro Küster.

Apesar de roqueiro, Küster cresceu nos anos de 1980 ao som das matinês e, depois nos anos de 1990, nos bailes de Carnaval em Guarapuava. “O Carnaval do GEC era muito esperado, uma data muito especial no ano”, recorda, destacando que o retorno da festa clubística é um resgate, um mergulho na nostalgia.

Segundo ele, o foco do baile no GEC são as tradicionais marchinhas, do tipo “Cabeleireira do Zezé” e “Mamãe, eu quero”. “Entretanto, do meio da noite para frente poderão entrar outros ritmos, como samba de enredo e axé”.

Outro aspecto da festa carnavalesca é a volta do concurso de blocos e fantasias, com direito à premiação no baile de segunda-feira. A animação das noites ficará a cargo da banda Anos Dourados e o final da noite com o DJ Weser Wouk.

Os ingressos custam R$ 30 (antecipado) para não-sócios – vendas com Rede Box, Heaven instrumentos musicais, Armazém do Rock, Havaianas e secretaria do Guarapuava Esporte Clube; os sócios do GEC têm entrada livre.

Para informações sobre mesas e camarotes, entre em contato pelo fone (42) 3623-1114.

ALTERNATIVO

Para quem não gosta de tamborim e serpentina, mas quer curtir os dias de festa em Guarapuava, uma opção é o Carnaval alternativo do festival de bandas Maquinária Rock Field (MRF), na Associação Fênix, no sábado (10) e domingo (11), a partir de 13h – mas os portões abrem às 9h.

Para quem não curte Carnaval, tem o MRF 2018 na Associação Fênix

Em sua quinta edição, o maior festival open air do Paraná reúne 26 bandas de rock que vão se revezar ao longo de dois dias, indo do classic rock ao metal furioso. Além das atrações de fora, o evento abre para a participação local, tais como Fusileer, Open Scars, Ultra Violent, Inception, Almas Famintas, Sarteloko, entre outros.

“A gente valorizou o pessoal que colabora e que apoia a cena da cidade. A gente não avalia apenas pelo nosso evento, pois todo mundo promove”, explica um dos organizadores do evento, Adriano Ribeiro, o Besouro.

Os ingressos antecipados custam R$ 15+1 kg de alimento e podem ser comprados em dois pontos de venda: Armazém do Rock (rua XV de Novembro, 7.840, Centro) e Beer’s House (rua Padre Chagas, 2.837, Centro). Os alimentos arrecadados serão doados a duas instituições: Nazaré Casa de Apoio e Associação Canaã.

O estúdio Anunnaki fará sorteio de tatuagens durante o evento.