Guarapuava, 22 de novembro de 2019
Economia

Ao CORREIO, Cláudio Marques de Azevedo afirmou que o evento tem como foco a parte técnica para o setor produtivo, e que a adesão do público deve ser termômetro para medir o sucesso do formato; por enquanto, Expogua permanece ‘na geladeira’

-

A “terra do lobo bravo” recebe entre esta quarta-feira (16) e o próximo domingo (20) um novo evento voltado ao setor produtivo. Trata-se da Feira Agropecuária de Negócios (AgroPec), organizada pela Sociedade Rural de Guarapuava.

Em entrevista ao CORREIO, Cláudio Marques de Azevedo, presidente da entidade, explica que as atividades mais técnicas vieram para substituir a Exposição-Feira Agropecuária e Industrial (Expogua), cujo formato “não cabia” mais na cidade.

Dessa forma, além de exposições de animais, leilões e palestras - resultado de uma parceria com a Cooperaliança -, a AgroPec traz em sua programação um credenciamento para o Freio de Ouro 2020 e um espaço dedicado à culinária, em que os pratos vencedores do Inverno Gastronômico estarão disponíveis.

Em números gerais, Azevedo aponta que a expectativa é que os arremates tragam um movimento de aproximadamente R$ 3 milhões durante sexta (18), sábado (19) e domingo (20), com os leilões de cavalo crioulo, angus e gado geral, respectivamente.

“Também teremos na parte de ovinocultura um balcão de negócios”, diz, pontuando que devem ocorrer negociações por parte dos expositores durante todo o evento.

PÚBLICO

Uma das principais atrações da feira serão as provas de cavalo crioulo na pista de laço, uma das credenciadoras ao Freio de Ouro do próximo ano.

“É uma das primeiras, então vamos ter animais de fora do município, e toda essa movimentação”, ressaltando que o público deve acompanhar as atividades.

Além disso, a exposição de animais e a praça de alimentação são estratégias para atrair os guarapuavanos para o evento, que tem entrada gratuita.

Ocupando o espaço de um evento que foi realizado por mais de 40 anos no município, a AgroPec precisa causar uma boa primeira impressão, acredita Azevedo (Foto: Cristiano Martinez/Correio)

MUSEU

De acordo com Azevedo, será montado um espaço dedicado à memória da cultura tropeira na região de Guarapuava. “Eu acho de fundamental importância”, opina, acrescentando que a culinária típica também estará em evidência durante a programação.

EXPERIÊNCIA

Ocupando o espaço de um evento que foi realizado por mais de 40 anos no município, a AgroPec precisa causar uma boa primeira impressão, acredita Azevedo. E, para medir o sucesso da primeira edição, a adesão do público e os negócios são o principal termômetro.

“Se nós atrairmos um bom número de pessoas, para o próximo ano será só incremento”, diz, pontuando que a tendência é que a feira passe a ter ações voltadas ao setor agrícola e à pecuária leiteira.

No seu ponto de vista, um dos pontos mais importantes será justamente a dedicação às atividades técnicas, com palestras e troca de informações entre os produtores. “Vejo que podemos nos firmar com a ovinocultura, que está crescendo na região, além da questão genética dos reprodutores”, ressaltando que a exposição de máquinas também será um destaque, visto que houve uma boa comercialização dos espaços disponíveis.

“Nós vamos pela parte técnica, pela questão da informação, mas também pela história e cultura que queremos colocar para a população da cidade”, completou o presidente.

SERVIÇO

A primeira edição da AgroPec começa nesta quarta (16), com a entrada de animais, e segue até o próximo domingo (20), com atividades no Parque de Exposições Lacerda Werneck, em Guarapuava. A entrada é franca.

Veja Também