Guarapuava, 20 de junho de 2019
Agricultura

Consolidado como uma ‘feira de negócios’, o evento segue com atividades até esta sexta-feira (12) no município localizado no Centro do Paraná

-

A 14ª edição da Produshow, feira de negócios organizada pela empresa pitanguense Producerta, segue com atividades até esta sexta-feira (12). De acordo com a organização, o giro de público nos três dias - o evento começou na última quarta (10) - deve ser de mais de 4,5 mil pessoas.

Para Carlos Brandalise, que é um dos sócios da empresa, a feira já está consolidada em toda a região do município. “O volume de negócios já superou o do ano passado”, afirmou ao CORREIO.

Em edições anteriores, o evento funcionava como uma feira técnica, de demonstração. Hoje, seu foco está na área de negócios. "Todo mundo está aqui para vender", pontua Carlos.

E, no seu ponto de vista, o setor do agronegócio vem crescendo nos últimos anos. “Nosso volume de vendas aumentou, a produtividade aumentou, e o produtor está buscando mais tecnologia”, ressaltou.

Carlos ainda acrescenta que o balanço da edição deste ano é positivo, já que todos os espaços disponíveis para a exposição de marcas foram ocupados. “Para a empresa é super produtivo, e o produtor já tem na memória ‘vou na Produshow’ para fazer um bom negócio para a próxima safra”.

Para Carlos Brandalise, a feira já está consolidada em toda a região do município (Foto: Douglas Kuspiosz/Correio)

A EMPRESA

Fundada em 1992 pelos empresários Carlos Brandalise e Luiz Carlos Zampier, a Producerta se consolidou como uma empresa local no setor do agronegócio. Hoje, suas atividades se expandiram, sendo a venda de insumos e a compra de cereais os seus principais segmentos.

“Também nos preocupamos com a questão social”, afirmou Brandalise, acrescentando que a Producerta patrocina a equipe de futsal do município e presta auxílio à comunidade pitanguense.

ÚLTIMO DIA

A 14ª Produshow continua com atividades nesta sexta-feira (12) na unidade de cereais da empresa. Esse encerramento, de acordo com a organização, é para “fechar negócios”.

“Não só os nossos clientes vêm nos visitar, mas também empresas do mesmo ramo. E o mais importante é o conhecimento técnico que o produtor vem angariar, finalizou Carlos, acrescentando que um grupo de trabalhadores da Argentina e do Paraguai participou das ações nesta quinta-feira (11).

(Foto: Douglas Kuspiosz/Correio)

 

Veja Também