Agricultura

Em nova previsão, IBGE prevê safra nacional de 227,2 mi de toneladas

No caso da região Sul, o Paraná responde por 17,6% da produção nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas, ficando atrás apenas do Mato Grosso (25,1%)
(Foto: Ilustrativa)

Graças a arroz, milho e soja, a safra nacional total de cereais, leguminosas e oleaginosas deste ano deve ser de 227,2 milhões de toneladas, 5,6% inferior à obtida em 2017 (240,6 milhões de toneladas), redução de 13,4 milhões de toneladas. Divulgada nesta quinta-feira (8), a nova estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) melhora em 1,1 milhão de toneladas a previsão anterior de fevereiro, que era de 226,1 milhões de toneladas.

A produção aumentou 0,5%. O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste grupo, que, somados, representam 92,9% da produção e 86,8% da área a ser colhida.

Em relação a 2017, houve aumento de 2,5% na área da soja e reduções de 7,1% na área do milho e de 3,3% na área de arroz. Quanto à produção, devem ocorrer reduções de 1,6% para a soja, 13,5% para o milho e 5,7% para o arroz. A publicação completa, a série histórica e a publicação deste levantamento estão à direita dessa página.

Entre as regiões, a distribuição da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, em toneladas, foi: Centro-Oeste (98,6 milhões); Sul (79,7 milhões), Sudeste (22,0 milhões), Nordeste (18,5 milhões) e Norte (8,3 milhões). Em relação à safra passada, houve aumento de 3,6% no Nordeste e reduções de 6,9% no Centro-Oeste, de 5,1% no Sul, de 7,9% no Sudeste e de 6,3% no Norte.

No caso da região Sul, o Paraná responde por 17,6% da produção nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas, ficando atrás apenas do Mato Grosso (25,1%). Isso só confirma mais uma vez a vocação agrícola do estado sulista.

PRODUTOS

Entre os 30 principais produtos, 15 apresentaram variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: algodão herbáceo em caroço (12,1%), amendoim em casca 2ª safra (12,0%), aveia em grão (15,4%), cacau em amêndoa (0,6%), café em grão-arábica (17,1%), café em grão-canephora (7,0%), castanha-de-caju (10,4%), cevada em grão (29,9%), feijão em grão 2ª safra (8,7%), mamona em baga (29,9%), mandioca (1,2%), sorgo em grão (9,2%), tomate (1,9%), trigo em grão (44,3%) e triticale (38,7%).

Os 15 produtos com queda foram: amendoim em casca 1ª safra (-4,6%), arroz em casca (-5,7%), banana (-1,3%), batata-inglesa 1ª safra (-11,4%), batata-inglesa 2ª safra (-3,8%), batata-inglesa 3ª safra (-15,8%), cana-de-açúcar (-2,2%), feijão em grão 1ª safra (-0,7%), feijão em grão 3ª safra (-6,7%), fumo (-3,3%), laranja (-1,5%), milho em grão 1ª safra (-14,9), milho em grão 2ª safra (-12,8%), soja em grão (-1,6%) e uva (-16,3%).