Esporte

Em 2018, CAD priorizará o campeonato estadual

Depois de cinco anos na Liga Nacional, clube guarapuavano foi obrigado a abrir mão de participação na principal competição de salonismo do país
(Foto: Ilustrativa/Assessoria)

O que era um desabafo nas redes sociais foi confirmado nesta quinta-feira (11) pelo Grupo Gestor. Em 2018, o Clube Atlético Deportivo (CAD) disputará apenas a Série Ouro do Campeonato Paranaense de Futsal. Depois de cinco anos seguidos, o time guarapuavano teve de abrir mão da participação na Liga Nacional, que é o “filé mignon” do salonismo brasileiro.

Nesta quarta-feira (10), o Grupo Gestor lançou mão da página oficial do CAD no Facebook para se pronunciar sobre o assunto. Em tom de “resenha esportiva”, o Grupo agradeceu os apoiadores e declarou que “retroceder sim, desistir jamais”, em relação ao atual momento da agremiação. “No cansaço de lutar contra as dificuldades ao longo dessa trajetória, pensamos em desistir, mais definimos em retroceder, afinal retroceder não significa enfim que tudo acabou, pelo contrário... Pode ser um novo recomeço para uma mais linda história”, diz o texto.

É sabido que o CAD tem passado por dificuldades financeiras nos últimos anos, refletindo em um elenco mais modesto e enxuto, como ocorreu na temporada passada. O Grupo Gestor sempre bateu na tecla que havia necessidade de mais patrocinadores e apoiadores. A maior consequência disso foi a escassez de títulos em 2017 e a última colocação na Liga do ano passado.

Por isso, o comunicado nas redes sociais deixa claro que o clube vai priorizar a Série Ouro em 2018, competição em que já foi campeão em três oportunidades. “Todos nós podemos ajudar a mudar esse projeto e voltarmos ao cenário nacional mais forte do que sempre fomos nesse ciclo que pausamos em 2018, esse é o desejo do Grupo Gestor”.

PLANEJAMENTO

Segundo a rádio Cultura, o Grupo Gestor pretende montar um time modesto, com folha salarial compatível ao orçamento mais enxuto de 2018, para disputar a Série Ouro.

No caso da Liga Nacional, o fim do contrato com a Poker (empresa fornecedora de material esportivo) deixou o time sem a vaga. Assim, para permanecer na competição nacional, o custo financeiro seria muito alto sem a parceira de sempre.