Guarapuava, 17 de December de 2018
Policial

André Manvailer prestou depoimento na 14ª Subdivisão Policial em Guarapuava. A defesa da família disse que Luis Felipe está “destruído psicologicamente”

-
(Foto: Assessoria)

André Manvailer, irmão de Luis Felipe Manvailer, suspeito de matar a própria esposa, prestou depoimento na delegacia da Polícia Civil de Guarapuava na tarde desta segunda-feira (30 de julho). Ele falou por mais de uma hora sobre a vida e o temperamento do irmão.

“Meu irmão é uma pessoa que nunca teve uma suspensão na escola, nunca teve problemas com a justiça”, declarou André. Ele ainda descreveu Luis Felipe como "pacato", "praticante de esportes", e um “cara família”. “Nunca foi violento”, ressaltou.

De acordo com a defesa da família Manvailer, os irmãos não puderam se encontrar na Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG), mas foram deixados itens essenciais para Luis Felipe na unidade prisional. “Me pediram para providenciar uma psicóloga para ele. Estão muito preocupados com a sua condição emocional”, disse André.

DEFESA

O advogado Adriano Bretas, que compõe a defesa da família Manvailer, afirmou que teve acesso ao inquérito policial, e que todos estão colaborando no caso.

Bretas pontuou que os atuais depoimentos contradizem a versão de acusação, na qual Luis Felipe Manvailer teria sido responsável pela morte de Tatiane Spitzner.

CASO

Tatiane Spitzner foi encontrada morta na madrugada do dia 22 de julho, no apartamento em que vivia. O marido dela, Luis Felipe Manvailer (32 anos), foi preso por suspeita de feminicídio em São Miguel do Iguaçu, a mais de 300 km de Guarapuava, após sofrer um acidente na BR 277.

Mas ele diz que a mulher se jogou da sacada.

“Meu irmão está sepultado vivo em uma penitenciária, e minha cunhada enterrada em um cemitério. É muito difícil lidar com tudo isso”, lamentou André Manvailer.


Veja Também