Guarapuava, 17 de novembro de 2019
#curta!

Já tradicional na ‘terra do lobo bravo’, o festival contemplará artes populares, música, dança e teatro com uma recheada programação entre 12 e 15 de novembro, com apresentações, oficinas e workshops à comunidade

-

Poucos dias após o término do Festival de Teatro da Unicentro (Feteco), que apresentou peças sobre importantes temas sociais da contemporaneidade, a comunidade guarapuavana receberá a 8ª edição do Festival Cênico “Guarapuava Abre as Cortinas”.

Inclusive, de acordo com o diretor e organizador Jones Guerra, o evento bebeu da fonte do “veterano” Feteco, que já é realizado há mais de duas décadas na cidade. 

“É um festival contemporâneo que agrega todos os segmentos - música, dança e teatro - durante quatro dias. Está super recheado, com atividades de manhã, tarde e noite”, diz, pontuando que a “terra do lobo bravo” tem potencial para ser um polo artístico na região. “Pode ter um só de teatro, outro só de música… e isso a cada três meses, para atrair o pessoal de fora”, completa. 

Para esta edição, o organizador conta que o equilíbrio entre a ação e o ser é a temática principal do festival. “Nós artistas temos um amor pela arte, e vamos falar disso durante a programação”.

Desse modo, as atividades movimentarão a cidade entre 12 e 15 de novembro, com apresentações na Praça 9 de Dezembro e no Teatro Municipal. 

DEMOCRÁTICO

No ponto de vista do diretor, a ideia de levar peças à rua, que é essencialmente um espaço de acesso público, dialoga com a necessidade da democratização da arte. “Tem de ser do povo, para o povo”, pontuando que mais de 4,5 mil pessoas devem participar nos quatro dias.

Além disso, Guerra prega que mostras amadoras e festivais populares devem ter livre acesso, justamente para dar uma contrapartida à sociedade. “A gente tem essa vertente, e sempre vai ter”, afirma. Artistas de Pinhão, Turvo, Laranjeiras do Sul, União da Vitória, Ponta Grossa e Curitiba participarão desta edição. 

PROGRAMAÇÃO

A abertura na próxima terça-feira (12) ocorrerá na área central da cidade, na Praça 9 de Dezembro. Mas, em caso de chuva, as atividades serão transferidas para o Colégio Estadual Visconde de Guarapuava. 

A primeira apresentação será um musical produzido por Jones, com início às 13h30; depois, entre 14h e 17h, haverá contações de história, circo, roda de capoeira e oficinas, além do tradicional desfile dos artistas. 

Na sequência da programação, já no Teatro Municipal, o público poderá conferir as peças teatrais na quarta (13), com apresentações das 9h às 20h. Destaque para “A fortuna de Jorge Dantas”, às 9h, e “O Exu”, às 10h30. 

Já na quinta (14) e sexta (15), o festival trará um grande volume de apresentações de música e dança, respectivamente, além de oficinas relacionadas.

MÚSICA

Tendo como marca registrada o vasto conhecimento cultural e a verve crítica, o jornalista Régis Tadeu ministrará um workshop sobre mercado musical na quinta e participará do júri na noite da música. 

Guerra explica que esse é um nome ideal para participar do festival, já que é um grande estudioso. “Ele vai dar uma ‘vibe’ legal”, completa. 

Veja Também