Esporte

Com casa cheia, Seleção Brasileira faz primeiro treino em solo russo

Enquanto de um lado do campo, os goleiros Alisson, Ederson e Cássio treinavam com o preparador Taffarel, do outro lado a comissão dividiu em dois o grupo de atletas
(Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Às 9h55 da manhã (madrugada no Brasil) desta terça-feira (12), os primeiros jogadores da Seleção Brasileira pisaram no gramado do campo 2 do Centro de Treinamento anexo ao Swissotel Resort Camélia, a casa da equipe na cidade de Sochi, na Rússia. O céu completamente azul, o sol brilhante refletindo o ouro sobre as superfícies da arquibancada e o verde vibrante do gramado deram uma aura acolhedora ao acanhado estádio.

A cada grupo de atletas que entrava no gramado, o público, formado em grande parte por crianças e adolescentes russos e estrangeiros, aplaudia e gritava os nomes dos jogadores. Ao redor do estádio, muita gente tentando entrar ou brigando por um espaço na grade do viaduto que passa bem ao lado do CT. Todos de olhos vidrados para o campo, onde Tite e a comissão técnica comandaram um trabalho intenso dando continuidade à preparação para a Copa do Mundo.

Enquanto de um lado do campo, os goleiros Alisson, Ederson e Cássio treinavam com o preparador Taffarel, do outro lado a comissão dividiu em dois o grupo de atletas. Aqueles que foram titulares na vitória contra a Áustria no último domingo trabalharam a parte física. Já os atletas que entraram no decorrer da partida ou ficaram no banco de reservas no amistoso participaram de atividade com bola.

O meio campo Fred foi a única ausência na atividade aberta ao público. O jogador ficou no campo 1 aos cuidados da fisioterapia.

“A Copa começou já faz um tempo. Estamos nos preparando forte e mostrando que estamos prontos”, disse Geromel.

O zagueiro, ao lado de Douglas Costa, Fagner e Renato Augusto, formou o time de colete que enfrentou Filipe Luís, Marquinhos, Taison e Roberto Firmino em treinamento para aprimorar a velocidade dos passes diante de uma marcação sob pressão. Fernandinho fez o papel de jogador coringa, podendo participar das ações nas duas equipes. Em seguida, esse grupo trabalhou jogadas de ataque contra defesa, com os goleiros se revezando na tentativa de parar os ataques construídos por Douglas Costa, Taison, Firmino, Fernandinho e Renato Augusto.