Guarapuava, 23 de maio de 2019
Esporte

Desde esta quarta-feira (13), os trabalhos técnicos e físicos ocorrem no Estádio Waldomiro Gelinski. Por enquanto, o clube conta com cerca de 20 jogadores profissionais e mais os meninos do Sub-19 para o início da pré-temporada

-

Depois de um período de descanso, o futebol profissional da Associação Atlética Batel (AA Batel) retomou os trabalhos no Estádio Waldomiro Gelinski (WG). Desde esta quarta-feira (13 fevereiro), jogadores e comissão técnica estão em campo para a pré-temporada de 2019, tendo no horizonte o Campeonato Paranaense da Segunda Divisão.

Segundo o técnico Dudu Sales, a diretoria ainda não apresentou novos reforços. “Estamos estudando, vendo alguma coisa. Mas provavelmente até o final da semana, ou na próxima semana, já chegam os próximos reforços”, disse, em entrevista ao CORREIO.

Por enquanto, os trabalhos técnicos e físicos estão sendo feitos com cerca de 20 jogadores profissionais (já contando os goleiros) e mais os meninos do Sub-19. “Pra gente dar uma avaliada melhor nesse período”, destacando que alguns desses jovens talentos foram integrados ao time principal.

Inclusive, o grupo de jogadores profissionais conta com nomes que vestiram as cores batelinas na Segundona de 2018, como é o caso de Dipão (zagueiro), Robson (goleiro), Testa (goleiro) e Anderson (volante), entre outros. E a tendência é de retornarem mais atletas desse porte, a exemplo de Doni (goleiro), que estão disputando campeonatos estaduais pelo país por diferentes equipes.

Dudu destacou que esses jogadores foram escolhidos “a dedo”, ou seja, são reforços que contam com a preferência da atual comissão técnica. “São atletas que já conhecem a torcida, já conhecem onde vão jogar, já sabem da cobrança”, destacando que a torcida batelina valoriza e cobra o desempenho em campo.

Durante a semana, o técnico e seu auxiliar Wil Chimanski pretendem focar nas avaliações físicas e técnicas. “Esse ano vamos fazer um pouco diferente: usar bastante bola durante os trabalhos da pré-temporada”, afirmou Dudu. Aliás, no período de duas semanas a comissão técnica deve definir o grupo de jogadores.

O técnico Dudu Sales comandou o treino realizado na tarde desta quarta-feira (13) no Estádio Waldomiro Gelinski (Foto: Cristiano Martinez/Correio)

PREPARAÇÃO

Até o dia da estreia na Segundona 2019, o Batel terá quase dois meses para se preparar contra o Paranavaí, primeiro adversário do campeonato. Lembrando que a 1ª rodada está programada para 7 de abril.

O técnico batelino avalia que é tempo suficiente para fazer o trabalho. “Eu acredito que dá pra estrear com porcentagem boa de um aproveitamento físico bom”, admitindo que o time não estará em 100% de suas condições, mas com desempenho muito próximo do ideal para a estreia.

Aliás, o pontapé do Rubro-Negro da Baixada será fora de casa, contra um time tradicional, que é o Vermelhinho do Noroeste. Dudu reconhece a força do adversário, mas também sabe que o Paranavaí deve chegar com condições físicas semelhantes ao Batel. “A gente tem de procurar chegar um passo a mais que eles”.

NÍVEL

O “professor” Dudu avalia que a Segundona 2019 será bastante equilibrada e até mesmo mais difícil do que a edição do ano passado. “Tem o Independente [de São José dos Pinhais], que sempre briga pra subir. O Beltrão [CE União, de Francisco Beltrão], que caiu e, pelos comentários, é uma equipe que vem investindo pesado para subir este ano”.

Independentemente dos adversários, o técnico batelino se preocupa mesmo é com os trabalhos de seu time. “Tem de ser diferente, pra gente surpreender eles”.

Veja Também