Guarapuava, 21 de fevereiro de 2020
Esporte

De volta a Guarapuava, onde foi multicampeão no comando do Clube Atlético Deportivo, o professor Baiano sabe da difícil situação vivida atualmente pela agremiação. Mas ele afirma que gosta de desafios e de que está numa cidade que adora

-

Campeão no comando do Clube Atlético Deportivo (CAD), o técnico Baiano retornou a Guarapuava para dirigi-lo na temporada de 2020.

Os tempos são outros. A agremiação guarapuavana sofreu o descenso em 2018. E, ano seguinte, amargou a lanterna do Campeonato Paranaense da Série Prata. Tudo isso em meio a um processo de reconstrução.

“É um momento difícil”, reconhece o professor, em entrevista exclusiva ao CORREIO. Ele diz que voltou sabendo da situação do CAD. Mas Baiano não foge à luta e gosta de desafios. “Estou numa cidade que eu adoro. Mesmo estando fora de Guarapuava, vinha pra cá e sempre mantive contato com várias pessoas”.

Segundo o comandante, é necessário um planejamento gradativo para recuperar a credibilidade dentro de quadra, assim como a diretoria está fazendo a mesma coisa fora dela. “A gente vai trabalhar o máximo possível, dando o máximo no dia a dia, para que essa equipe volte a crescer”, afirma o professor.

A principal competição do CAD em 2020 será a Série Prata, em março. A data de início dessa competição depende do arbitral, marcado para o próximo dia 15 de fevereiro, no município de Coronel Vivida (Sudoeste do Estado).

Baiano avalia que a Federação Paranaense de Futebol de Salão (FPFS) quer fazer a edição deste ano com 16 equipes. “Tomara que tenha 16, pois sempre é bom ter bastante equipes para a gente competir”, diz, reconhecendo que a competição deve ficar com 12 ou 14 times.

COMPETIÇÕES

Antes de entrar em quadra pela Série Prata, o CAD disputará a Copa das Cachoeiras na fase final da pré-temporada, em fevereiro, na cidade de Prudentópolis.

Por isso, essa competição é uma espécie de preparatório. “A gente vai começar a delinear aquilo que a gente deseja, ou o que a gente pode melhorar dentro do trabalho”, diz Baiano.

Segundo ele, a Copa é muito importante, já que terá a participação de duas equipes da Liga Nacional e uma da Prata, além do próprio CAD.

Em 2020, o representante de Guarapuava também deve participar da Liga Futsal Paraná (LFP), torneio que teve sua primeira edição em 2019.

O técnico só lamenta o fato de que a LFP começa a perder seu rumo, distanciando-se de projetos semelhantes em estados como Rio Grande do Sul e São Paulo. “Infelizmente, aquilo que a gente imaginava que seria a Liga, talvez não seja”.

Em todo o caso, o CAD deve disputar a segunda edição da LFP, provavelmente a partir de junho. O técnico da equipe diz que é a oportunidade de jogar contra grandes equipes e levar o público guarapuavano para ver os melhores do Paraná.

Na tarde desta terça-feira (11), jogadores do CAD participaram de atividade na pré-temporada do clube em 2020 (Foto: Daiara Souza/Correio)

E, por fim, o Time de Guerreiros participará dos Jogos Abertos do Paraná, defendendo as cores de Guarapuava.

Já em relação à Copa Paraná, uma competição criada pela FPFS, a diretoria do CAD ainda não confirmou sua participação em 2020.

TORCIDA

A torcida guarapuavana era conhecida e temida pela pressão criada quando o Clube Atlético Deportivo jogava no Ginásio Joaquim Prestes, o Joaquinzão.

Porém, nos últimos anos, a massa se afastou. Principalmente pelos resultados em quadra. “Em momentos de derrota, realmente a torcida abandona um pouco. E não é no CAD. É no Brasil inteiro: nos times de campo, de basquete... em todos os esportes, quando o time está sendo uma equipe vencedora, a pessoa vem”, diz Baiano, destacando que o time precisa mostrar serviço em quadra para reconquistar a credibilidade do torcedor.

Veja Também