Topo 1


Região I Encontro Municipal combate ao Suicidio

Publicado em junho 16th, 2017 | por Jornal Correio do Cidadão

Encontro municipal busca combater o suicídio em Pitanga

A sociedade deve estar atenta para os índices estatísticos, que apontam para a fragilidade emocional a que estão submetidos os adolescentes e jovens, que são cerceados por “modismos” com intenções obscuras. O incentivo da automutilação, desafios que põem a vida de adolescentes em sérios riscos, e podem levar até ao suicídio, são os perigos “reais” do mundo virtual.

Com o objetivo de combater este mal, reuniram-se na sede da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), em Pitanga, durante a tarde da última quarta-feira (14), para aprofundar as discussões sobre o tema, profissionais da área de saúde pública, com o apoio da OAB e Seju (Secretaria da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos), Sesa (Secretaria Estadual de Saúde do Paraná).

Além das presenças da secretária municipal de Saúde de Pitanga, Emilly Sakurai (que representou o prefeito Maicol Callegari Barbosa); enfermeira Rejane de Genova; e equipe do Caps (Centro de Atenção Psicossocial), com assistente social e coordenadora, Vilma Maria Leal Petrechen, as psicólogas Mariana Camargo Cleto e Duane C. Santone Coleraus; o educador Rodrigo Bayer e Viviane Oliveira, representando a Coordenação de Saúde Mental da 5ª Regional de Saúde, e demais convidados.

A exemplo dos perigosos “jogos” que se apregoam no mundo virtual, está a recente polêmica que circulou por meses, nas redes sociais, em torno da “Baleia Azul”, e que já vitimou dezenas de jovens com comportamento depressivo, mundo afora.

I Encontro Combate Suicidio na adolescencia

Rogério Danguí Cleto, presidente da OAB, Subseção de Pitanga, abriu a reunião falando do ponto de vista jurídico, o que são estes jogos, e o que representam, e em quais crimes são enquadrados pelo código penal.

O sargento Paulo e a soldado Maria, representando a Polícia Militar de Pitanga, relataram que no município, felizmente, não houve ainda registros de ocorrências relacionados diretamente ao tal jogo. Mas, por outro lado, há casos de suicídio nessa faixa etária, por outras situações de conflitos emocionais.

DADOS
Mariana Camargo Cleto, psicóloga, apresentou dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), sobre a epidemiologia do suicídio.

Já Viviane Oliveira apresentou os programas de apoio que a Regional de Saúde, disponibiliza aos municípios para a prevenção e promoção da Saúde Mental.

“A iniciativa do município de Pitanga em promover essa discussão é muito importante. Nós, que atuamos na saúde pública, precisamos identificar as causas de tantos casos de suicídio na região sul do país, com um trabalho conjunto com os municípios”, disse.

UNIÃO
Vilma Maria Leal Petrechem avaliou positivamente o primeiro encontro e reiterou que os profissionais da “saúde e educação, devem se unir às famílias para combater o problema”. E, por parte da Secretaria Municipal de Saúde, há uma atenção especial para “diminuir os riscos e garantir assistência a quem necessite de apoio”, enfatizou a secretária Emilly Sakurai.

Os apontamentos levantaram a necessidade de maior divulgação entre a sociedade civil organizada sobre campanhas de prevenção e novos encontros, palestras para difundir o tema.

Texto/Fotos: Assessoria




Voltar ao Topo ↑